Ex-aluno planejava chacina em escola de Nova Era; caso é investigado

A polícia investiga os planos de um adolescente de 17 anos que teria anunciado em fóruns na internet que cometeria uma chacina na escola em que e estudou em Nova Era. O nome do estabelecimento não será divulgado para não gerar pânico. No entanto, a diretora da escola está a para da situação.

Para concretizar o ataque, o jovem pretendia fazer uso de explosivos e de armas: o plano era explodir o muro da escola, atirar em alunos, professores e em membros da direção. Em seguida, ele pretendia se suicidar com um tiro na cabeça. De acordo com o adolescente, a motivação da chacina seria bullying por parte de colegas da escola, onde estudou até 2017.

A descoberta do ataque foi feita pela Interpol, que acionou a Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG). Na quinta-feira passada, agentes da PCMG estiveram na residência do jovem e apreenderam dois computadores, que já estão sendo periciados.

Não foram encontradas armas na residência, mas os agentes informaram que o adolescente consegue distinguir tipos diferentes de armamentos.

O inquérito foi aberto na quarta-feira passada, quando a PCMG recebeu a informação da Interpol. De acordo com as informações, a Polícia Federal participou do começo das investigações, mas a partir de agora os trabalhos seguem sendo realizados pela PCMG. O adolescente está em casa com os pais. Na semana que vem deverá ser marcada uma reunião com os pais e a promotoria.

Terrorismo não comprovado

Em nota, a Polícia Federal de Minas Gerais confirmou que recebeu um informe da Representação da Interpol na Suécia, e que logo em seguida identificou o menor de idade. “Devido à urgência, a Polícia Federal compartilhou os relatórios de inteligência policial produzidos sobre o caso com a Polícia Civil de Minas Gerais, que procedeu ao cumprimento do mandado judicial. Não houve comprovação da prática de crimes de terrorismo.”

Com informações: O Tempo
Publicidade

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui