A previsão da Organização das Nações Unidas (ONU) é que, até 2030, a demanda por água no mundo aumente em 50%

O Departamento de Água e Esgoto (DAE), órgão responsável pelo abastecimento de água em João Monlevade, afirma que o problema da falta d’água na cidade já foi resolvido, depois de ter enfrentado problemas nas duas últimas semanas, em redes adutoras e nas duas bombas na estação de tratamento.

Mas as reclamações de moradores continuam por quase toda a cidade, que garantem a água não tem chegado aos reservatórios domésticos.

Na rua Campos Altos, no bairro Metalúrgico, por exemplo a água não chega há 30 dias, conforme denúncia de moradores. Para minimizar o problema, há 15 dias um caminhão pipa fez o abastecimento de caixas do local. No entanto, de lá para cá, a situação tem ficado insustentável. “Estamos aqui no verdadeiro deserto. Estamos aqui indignados sem saber o que fazer, no hidrômetro só passa ar e a conta vem”, disse um dos moradores através da rede social WhatsApp.

Situação semelhante é vivenciada por parte de moradores do bairro José Elói. No local, a água não chega até as casas a mais de dez dias. O diretor do Departamento de Água e Esgoto (DAE) de João Monlevade, Cleres Roberto de Souza, por meio da Assessoria de Comunicação, informou que há locais na cidade, como os bairros Metalúrgicos e José Eloi, onde o abastecimento é mais demorado.  Na manhã desta quinta-feira (23), um caminhão pipa foi enviado ao Metalúrgico para minimizar o problema para os moradores.

No bairro Santa Cruz, onde a água é fornecida pela ArcelorMittal Monlevade, também  está ocorrendo a falta d’água há mais de 15 dias, segundo moradores.

Uma moradora da Rua Boa Esperança disse que já fez diversos contatos com a empresa pedindo solução para o problema, mas ainda sem solução.

Por meio de uma nota, a empresa disse estar ciente do problema na região do Santa Cruz, porém o fornecimento da água por parte da Usina está normal. No entanto, pode estar havendo algum problema na rede de distribuição que é de responsabilidade do DAE. Lembrando que a água é fornecida pela Usina, mas é o DAE quem opera, dá manutenção e distribui a água para os bairros do entorno.

Repercussão na Câmara

O constante desabastecimento de água em João Monlevade foi criticado na Câmara de Vereadores pelo parlamentar Belmar Diniz (PT). Ele apontou que é preciso que o DAE seja mais transparente com a população com informações sobre o assunto. Belmar comentou ainda que tem tido dificuldades em contactar o diretor da autarquia. “O povo está cansado. Tem que passar informação para população. Outros problemas virão, mas estamos aqui para ajudar”, frisou Belmar.Bell Silva

As colocações do petista foram duramente criticadas pelos vereadores da base. Guilherme Nasser (PSDB) ponderou que não se pode culpar a direção por problemas no abastecimento – fazendo referencia a rompimento de uma adutora e a queima de motores na Estação de Tratamento de Água (ETA). “A falta de água incomoda, prejudica e irrita, mas não podemos jogar responsabilidade na direção. Todo mundo empenhados, trabalhando muito. São poucos funcionários para atender a cidade toda. Não tem como responsabilizar gestão. A rede de abastecimento tem mais 40 anos de uso. Vai romper em outros locais e faltar água em outros pontos”, comentou.

 

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui