Novamente, o velório improvisado na antiga sede da Enscon foi assunto comentado pelos vereadores de João Monlevade durante a reunião da Casa, na tarde da última quarta-feira (22). Dessa vez, o parlamentar Vanderlei Miranda (PDT), apontou que a causa da falta de energia no lugar – assunto levantado por Belmar Diniz (PT) na semana passada – foi o rompimento do lacre do padrão da Cemig (o famoso “gato”).

A informação repassada por Vanderlei, obtida junto à Concessionária de Energia Elétrica, jogou por terra a afirmação da Prefeitura de João Monlevade que alegou na semana passada que a falta de luz foi ocasionada por “curto-circuito junto à chave geral”.

“Todos os dias recebemos reclamação de onde é realizado o velório. A energia foi cortada porque houve rompimento de lacre do padrão e a ordem de corte veio de Belo Horizonte. A luz na sede da antiga Enscon estava desligada porque o local não era usado. A Prefeitura não fez o pedido de religamento da energia e o lacre do padrão foi rompido”, argumentou Vanderlei.

Diante da afirmação de Vanderlei, Belmar lamentou o fato de a administração ter desmentido a informação repassada por ele na semana passada. Na ocasião, o vereador disse que a falta de energia foi ocasionada pelo não pagamento de contas. “Me colocaram como mentiroso. Fica ruim essa manifestação sem apurar. É uma situação constrangedora e que entristece”, ponderou.

Visita

Nessa semana os vereadores fizeram visita no Velório Municipal, que está em obras. Eles pontuaram que os serviços estão morosos e devem demorar em serem concluídos. O presidente da Câmara, Djalma Bastos (PSD), ponderou as colocações dos colegar e alertou que não adianta reclamar sobre as obras. “Está na hora da Câmara tomar providência. Isso não pode mais acontecer”, disse.

A sede da Enscon foi locada pela administração para a realização das cerimônias fúnebres desde o início do ano por conta de obras no velório Municipal. Os serviços de reforma começaram no ano passado e se arrastam há quase 10 meses. A empresa responsável pela obra já foi notificada por duas vezes devido à demora em entrega do serviço. Segundo a Assessoria de Comunicação do Executivo, o lugar fica pronto em até 30 dias.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui