Feira itinerante amplia vendas da agricultura familiar em Itabira

Vendas geram cerca de um salário mínimo por mês para cada família (Divulgação / Emater-MG)

Produtos que saem do campo indo direto para onde está o consumidor. Esta é a proposta de uma feira itinerante em Itabira, na região Central de Minas Gerais. Faz quase três anos que os agricultores do município começaram a percorrer os bairros da cidade com a feira Terra Nossa. Nas barracas, só pode ser vendida a produção própria de cada um, sem atravessadores.

“Itabira não tinha uma feira específica neste segmento e que contemplasse somente a produção da agricultura familiar local. Em uma cidade com mais de 100 mil habitantes, faltava uma feira nos bairros, que se diferenciasse de uma feira fixa”, explica a técnica da Emater-MG do município, Cibele Morais Castro. São 11 feirantes, todos integram a Associação dos Produtores da Agricultura Familiar de Itabira (Apafi).

Nas barracas são vendidas hortaliças, frutas, ovos caipiras, biscoitos, quitandas, mel e derivados. Os produtos processados são inspecionados pela Vigilância Sanitária Municipal. A assistência técnica aos produtores é dada pela Emater-MG, vinculada da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). Já as barracas e equipamentos usados foram fornecidos pela Fundação Vale. A feira é gerenciada por uma comissão com participação da Emater-MG, agricultores, prefeitura e Conselho Municipal de Segurança Alimentar (Comsea).

Rodízio

A cada quinta-feira, um bairro recebe a feira Terra Nossa. São quatro bairros que participam do rodízio. Mas, a pedido dos moradores, já houve edições especiais da feira em outros bairros da cidade. Além disso, alguns agricultores participam, aos sábados, de uma feira em Ipoema, distrito de Itabira, conhecido pelo turismo rural.

Segundo a Emater-MG, as vendas geram cerca de um salário mínimo por mês para cada família. “A feira garante uma renda complementar para estas famílias de agricultores, além de oferecer produtos perto da casa dos clientes, que têm mais facilidade para comprar”, afirma o técnico da Emater-MG, Mauro Lúcio Ferreira.

A produtora Beatriz Coelho da Silva participa da feira desde o início. Com a ajuda da filha, ela produz e vende vários tipos de biscoitos: rosquinhas, biscoito de polvilho, biscoito de coco e temperado. A agricultora conta que nos dias de boas vendas, chega a comercializar 30 pacotes de biscoitos.

“As minhas vendas melhoraram demais. A gente faz muito contato com os clientes”, afirma. O próximo passo da produtora será a fabricação de biscoitos sem glúten e sem lactose para atender uma demanda de parte da clientela. Para isso, ela vai contar com a ajuda da Emater-MG na elaboração das receitas. “A Emater ajuda a gente em tudo. Desde o início, com as receitas, até na divulgação”.

O agricultor Antônio Nazareno de Menezes produz e vende banana, abacate, mel e própolis. Ele também conta com a mão de obra familiar na propriedade, pois trabalha com a esposa. Além da feira, eles vendem em padarias, sacolões e supermercado de Itabira. “A feira é a chance de vender direto para o consumidor. É muito melhor. Além disso, ela serve para que eu divulgue meus produtos, que podem ser encontrados pelos clientes em outros locais da cidade”.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui