O trabalho desenvolvido nas escolas, dentro da nova disciplina de empreendedorismo, tem o objetivo de estimular e expandir a cultura empreendedora

As escolas da Rede Municipal de Ensino de Santa Bárbara realizaram, na primeira quinzena de julho, feiras que apresentaram aos pais e demais visitantes os trabalhos de empreendedorismo desenvolvido nas instituições. O objetivo é estimular e expandir a cultura empreendedora entre os discentes.

Neste contexto, é importante destacar que a disciplina Empreendedorismo e Educação Financeira foi inserida, este ano, no currículo escolar dos alunos do Ensino Fundamental I (1º ao 5º ano) da Rede Municipal. De acordo com o secretário de Educação, Alexandre Geraldo Mota, já há relatos de mudança de comportamento, no que diz respeito ao olhar empreendedor em alguns discentes e docentes, tanto por uma nova formatação de aula quanto pela participação em atividades extracurriculares.

Adélia Hosken Ayres

O Projeto “Empreender na Adélia: Empreender para a Vida”, no contexto da II Feira de Empreendedorismo tem o propósito de estimular e desenvolver competências empreendedoras nos educandos, levando-os a refletir sobre o futuro, disseminando valores para o convívio social e para o desenvolvimento sustentável do meio. Além disso, incentiva a capacidade de inovar, criar, ter iniciativa, ousadia, por meio de experimentos, planejamento, organização e efetivação de ideias e ações.

Afonso Pena – Comap

A segunda edição da Feira de Empreendedorismo do Colégio Municipal Afonso Pena envolveu os pais, a comunidade, parceiros do comércio local e empresas regionais. Ao todo, foram desenvolvidos 16 empreendimentos, sendo 14 na área de gastronomia e dois no campo da tecnologia. Os visitantes puderam experimentar sabores da cozinha mineira, fazer um registro fotográfico e ainda apreciar uma boa música ao vivo.

Cecília Álvares Duarte

Com o tema “Festival de cores, aromas e sabores”, pais, alunos e visitantes puderam desfrutar da boa gastronomia, de compotas caseiras, além da comercialização de artesanato, aroma de ervas, panos de prato, dentre outros produtos. Uma amostra do Programa Mais Educação, realizado dia a dia em sala de aula, também foi apresentada.

Chico Severino

O evento enriqueceu a relação entre família e escola e garantiu o acesso da comunidade para conhecer os empreendimentos desenvolvidos na instituição, promovendo, assim, o fortalecimento da educação empreendedora.

Creche Maria Célia Torres

Com a educação pautada em três eixos fundamentais: “educar, cuidar e brincar”, a instituição desenvolveu para os pequenos grandes empreendedores o projeto “O corpo fala e faz arte”, partindo da necessidade de adequar a arte com algo lúdico e prazeroso. O objetivo foi despertar o gosto e o interesse da criança em confeccionar o artesanato utilizando mãos, pés e dedos.

Escolas do Campo

As Escolas do Campo realizaram, no Memorial Affonso Penna, o V Projeto “Empreendedorismo, horizonte que transforma vidas” e a II Feira do Empreendedor. Este trabalho, além de estimular a cultura empreendedora entre jovens e crianças, desenvolve o espírito de liderança, motivação e competências tornando-os capazes de tomar decisões, traçar planos e organizar os recursos necessários para chegar ao sucesso.

Irmã Amandina Maria

Com o tema “Gastronomia e Saúde”, a Escola deu continuidade ao projeto Poesia Vai à Rua, que homenageou a escritora Ana Maria Machado. Os alunos se basearam nas obras que trazem referências gastronômicas. A Feira tem a finalidade de preparar o aluno para ser um cidadão consciente e autônomo, estimulando-os a ter ideias criativas com persistência, comprometimento e autoconfiança.

Iveta Moreira Novais

Com o tema “Alimentação Saudável”, o objetivo foi mostrar ao público o trabalho dos alunos durante o período letivo na disciplina Empreendedorismo e Educação Financeira, implantada na grade curricular da Rede.

Laudelina Antônia Gonçalves

Produtos diversificados, como alfajor, pipoca doce e salgada, bolo de cenoura com cobertura de chocolate, beijinho quente, temperos, artesanatos, além de danças e uma apresentação teatral explicando ao público o significado de empreendedorismo, marcaram a II Feira do Jovem Empreendedor da Escola Municipal Laudelina Antônia Gonçalves.
Pais, professores e comunidade em geral prestigiaram a venda dos produtos desenvolvidos pelos alunos da instituição.

Maria de Lourdes Pereira – Florália

A Escola criou vários empreendimentos para a II Feira de Empreendedorismo. São eles: “Recreação e diversão”, “Capim Limão (temperos com a base de plantas aromáticas e condimentares)”, “Floricultura Flores Belas”, “Confeitaria Cores e Sabores”, “Brechó Melissa”, “Barraca Bom Sabor”, além de apresentação cultural. Os alunos participaram ativamente, apresentando os seus produtos e empreendimentos aos visitantes.

Marphiza Magalhães Santos

A II Feira ‘Empreendedorismo em Movimento’ extrapolou os muros da Escola e os limites do município com participação intensa dos pais. Além deles, marcaram presença gestores e educadores de Ouro Preto, João Monlevade, Itabira e Belo Horizonte e os parceiros cotidianos neste projeto de empreendedorismo, Sebrae e Senac.

Neste contexto de empreendedorismo, estudantes da Escola Marphiza também participaram da Feira da Estação, cozinhando junto com o chef Michel, do Senac, preparando uma paella mineira. Há quase dois anos a instituição possui uma horta histórica, inspirada na horta do Rppn Santuário do Caraça, que faz parte do projeto Primórdios da Cozinha Mineira. O objetivo é resgatar e preservar hábitos, técnicas e produtos alimentares dos primeiros habitantes do Estado.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui