Fernando Pimentel recebeu o presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM) junto com os integrantes da diretoria (Veronica Manevy/Imprensa MG)

O governador Fernando Pimentel recebeu nesta segunda-feira (3), no Palácio da Liberdade, em Belo Horizonte, o presidente da Associação Mineira de Municípios (AMM) e prefeito de Moema, Julvan Lacerda, junto com os integrantes da diretoria que está comandando a entidade no biênio 2017/2019. Pimentel ressaltou que o Governo do Estado está sempre aberto ao diálogo e falou sobre a importância de se ter um bom relacionamento com os gestores municipais para a concretização das políticas públicas.

“Minas Gerais tem 853 municípios. Quem chega ao Palácio da Liberdade sem ter um olhar especial e dedicado para os municípios não vai fazer um bom governo. Ou o governador presta atenção nos municípios e os atende, faz o que for possível junto com eles, ou não vai fazer um bom governo, porque o Estado tem 853 lideranças políticas com as suas aspirações, que não são deles, não são pessoais, são da sua gente, daqueles que a gente representa”, afirmou, lembrando que “a política começa lá no município pequenininho, tem uma liderança que é o prefeito que se encarrega de transitar pelo Parlamento e, juntos, chegam até o governador para construir soluções para as cidades e para o Estado”.

Fernando Pimentel destacou a relevância da AMM. “É uma associação que tem uma importância política enorme no Estado, porque representa o conjunto, o território. E nós estamos em um momento no Brasil de extrema dificuldade e só tem um jeito de vencer essa dificuldade: é fazer o que Minas Gerais está fazendo, conversando muito e trabalhando”, afirmou.

Segundo o presidente da AMM e prefeito de Moema, Julvan Lacerda, a atual diretoria tem como foco o fortalecimento dos municípios, levando em consideração a atual “crise financeira e moral no país”. “Montamos uma chapa multipartidária com esse propósito de fortalecer a causa municipalista. O governo de Fernando Pimentel é republicano, está abrindo as portas para nos receber, mas já tem aberto essas portas em outras parcerias. Sempre fomos prontamente atendidos”, disse.

O prefeito lembrou causas comuns entre o Estado e os municípios, como o ressarcimento de renúncias fiscais do ICMS em função da Lei Kandir, de 1996. “O Estado é vítima, vamos levantar também a nossa voz. Essa questão reflete nos municípios”, disse.

Também estiveram presentes os secretários de Estado de Governo, Odair Cunha, de Planejamento e Gestão, Helvécio Magalhães, de Casa Civil e Relações Institucionais, Marco Antônio Rezende, e de Cidades e de Integração Regional, Carlos Murta, e o deputado federal Newton Cardoso Júnior.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui