Os parlamentares elogiaram as ações da Polícia Militar na cidade

Os vereadores de João Monlevade denunciaram várias ações irregulares que estariam acontecendo no posto de saúde do bairro Novo Cruzeiro. Desde que o ex-vereador José Benício Werneck assumiu a gerência da unidade, a gestão dele tem sido alvo de reclamações. A insatisfação é tamanha que até mesmo um abaixo-assinado foi feito com pedido de sua saída do cargo.

Na noite da última quarta-feira (26), novas reclamações sobre a unidade de saúde foram apontadas durante a reunião semanal dos vereadores. Belmar Diniz (PT) foi o primeiro parlamentar a pontuar a questão. Ele enfatizou que esteve no posto e funcionários relataram que o gerente não sabe o básico com relação ao funcionamento da unidade e desconhece até mesmo a agenda de atendimento médico no programa de Saúde da Família. Outra denúncia grave e que deve ser apurada, segundo o vereador, é o fato do gestor não respeitar o funcionamento da farmácia, dispensando medicamento aos usuários sem receita.

Além disso, Belmar comentou que o setor de odontologia do Centro de Saúde Novo Cruzeiro está atendendo somente urgências devido ao estrago da autoclave (equipamento que esteriliza os materiais). O problema surgiu em 28 de março, quando foi repassado ao gerente e à coordenação de Saúde Bucal que informou não ter previsão para resolver a situação, sob justificativa de que outro aparelho precisa ser comprado. Pacientes tiveram o tratamento interrompido e não são comunicados, pois na unidade de saúde não há telefone para ligações para celulares. “Os funcionários dessa unidade estão achando muito complicado continuar trabalhando dessa forma e muitos usuários já estão reclamando da bagunça que virou essa unidade”, disse.

“População do Cruzeiro Celeste está abandonada”, disse o vereador Revetrie Teixeira (PMDB) sobre a questão. O também peemedebista Thiago Araúijo (Titó) lembrou que o posto de saúde não possui vigia e foi furtado nos últimos dias, tendo sido levado do local um cilindro de oxigênio. Leia mais

Em relação à gerência do posto, o vereador sugeriu uma reunião com o gestor. “O que não pode é deixar população prejudicada. Se existem problemas, eles têm que ser sanados”, frisou. Vanderlei Miranda (PR) também se manifestou e comentou que até os médicos estão insatisfeitos em trabalhar na unidade de saúde. “O posto não dava problemas e hoje a maior reclamação é em relação à falta de diálogo. A Secretaria de Saúde tem que rever isso”, disse.

Já o presidente da Câmara, Djalma Bastos (PSD), determinou que a Comissão de Saúde da Câmara apure as denúncias apontadas.  A prefeita Simone Carvalho (PSDB) foi procurada por meio de sua assessoria de Comunicação e até a publicação dessa matéria (17h30) não havia se manifestado. O gerente do posto médico, José Benício Werneck não foi encontrado para comentar o assunto.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui