Governo analisará suspensão de entrada de imigrantes por Roraima

Governo analisará suspensão de entrada de imigrantes por Roraima

Desde o início da crise de imigração em Roraima o governo federal tem sido enfático em dizer que vai manter aberta a fronteira do Brasil com a Venezuela, no estado.

Nessa segunda-feira (20), o Palácio do Planalto anunciou que analisará uma proposta de suspender temporariamente a entrada de imigrantes.

O ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, considera difícil a possibilidade de fechar a fronteira.

Outra opção seria alterar a Lei de Imigração, para limitar a quantidade de imigrantes que entram no país.

Também nessa segunda-feira, autoridades reunidas no Palácio do Planalto discutiram a crise migratória em Roraima. Além de como lidar com o fluxo de pessoas na fronteira e na instalação dos refugiados no Brasil, outro assunto em pauta foi a questão energética.

Roraima é o único estado que não é interligado ao sistema elétrico brasileiro e depende da energia elétrica fornecida pela Venezuela, o que provoca eventuais blecautes no estado.

Agora o governo quer retomar o processo de interligação de Roraima. A obra está parada desde 2011, aguardando licenças ambientais.

A meta é construir 700 quilômetros de linhas de transmissão, a partir da usina de Tucuruí, no Amazonas, até Boa Vista, capital de Roraima.

Desses 700 quilômetros, cerca de 120 estão em terras indígenas e serão negociados com a etnia waimiri-atroari. O restante, que está fora da área indígena e foi dividido para ser construído com mais rapidez, como explicou a presidente o Ibama, Suely Araújo.

A previsão do governo é que as obras na linha de transmissão comecem em setembro e durem 36 meses.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui