Nos primeiros oito meses do ano, a área total queimada dentro das unidades de conservação caiu cerca de 60%, se comparada à média histórica (Evandro Rodney)

O trabalho de prevenção e combate aos incêndios florestais será reforçado em Minas. Além do quadro de 265 brigadistas contratados pelo Instituto Estadual de Florestas (IEF) para atuar durante o período crítico de incêndios, mais 145 profissionais serão recrutados para a instalação de dez novas unidades operacionais da Força-Tarefa Previncêndio, em regiões de unidades de conservação de proteção integral das bacias dos rios Doce e São Francisco. O grupo tem a coordenação da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) e é formado por outros órgãos estaduais e federais.

Além disso, equipamentos de trabalho e 20 veículos, entre caminhonetes, carros de passeio e caminhões, também integram o aporte. O reforço foi possível devido a um recurso de compensação mineral oriundo de uma empresa com atuação em Minas, no valor de R$ 14 milhões, que teve o uso aprovado pela Câmara de Proteção à Biodiversidade, do Conselho Estadual de Política Ambiental (Copam), em 26/8.

O anúncio foi feito pelo diretor-geral do IEF, Antônio Malard, durante a 3ª Reunião Ordinária da Força-Tarefa Previncêndio, realizada virtualmente nessa terça-feira (8/9). “É uma grande vitória. Há muito tempo o IEF tentava este recurso e, a princípio, esse contrato terá vigência de um ano e essas equipes poderão ser utilizadas também nas ações de prevenção aos incêndios em 2021”, disse.

Balanço

A equipe da Gerência de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais do IEF também apresentou um balanço dos registros de incêndios florestais e focos de calor em Minas, entre janeiro e agosto de 2020. Nos primeiros oito meses do ano, a área total queimada dentro das unidades de conservação caiu cerca de 60%, se comparada à média histórica (2013 a 2019), sendo esse dado ainda parcial. Além disso, também houve redução de 42,3% no número de ocorrências registradas nas unidades de conservação.

Reforço

A previsão é de que os trabalhos nas dez unidades comecem entre outubro de 2020 e maio de 2021. A definição se baseará nas condições climáticas vigentes, determinantes para o cenário dos incêndios florestais. “Todos os recursos serão destinados às unidades de conservação abrangidas, de forma direta, com a atuação dos brigadistas e indireta com os operadores das Salas de Situação e Operação”, frisa o coordenador operacional da Força-Tarefa Previncêndio e Gerente de Prevenção e Combate a Incêndios Florestais do IEF, Rodrigo Bueno Belo.

Veja, abaixo, quais serão as novas dez unidades operacionais:

• UOp Noroeste – Parque Estadual Paracatu

• UOp Jequitinhonha – Parque Estadual Pico do Itambé

• UOp Serra do Cabral – Parque Estadual Serra do Cabral

• UOp Rio Doce – Parque Estadual Rio Doce

• UOp Centro Norte – Parque Estadual Sumidouro

• UOp AMSF Ato Médio São Francisco – Sub-base Operacional Previncêndio Januária

• UOp Norte – Parque Estadual Lapa Grande

• UOp Centro Sul – Parque Estadual Itacolomi

• UOp Metropolitana – Sub-base Operacional Previncêndio BH

• UOp BC – Base Operacional Previncêndio Curvelo

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui