Fundação precisa repor especialmente as bolsas de grupos sanguíneos negativos e O positivo

Os doadores de sangue, fidelizados ou não, são ainda mais importantes, neste momento, para ajudar a região de Governador Valadares, no Território Vale do Rio Doce, no Leste de Minas Gerais. A Fundação Hemominas informa que foi registrada queda de mais de 50% no estoque dos grupos sanguíneos nos bancos de sangue no hemocentro da região.

As baixas, que atingem todos os tipos sanguíneos, são mais expressivas no estoque de sangue ‘O’ negativo (- 33,66%) e positivo (- 6,79%), ‘A’ negativo (- 19,31%), ‘B’ negativo (- 13,75%) e ‘AB’ negativo (- 32,65%). Além do período de férias e baixas de comparecimento, a Fundação Hemominas aponta a ausência ainda maior de doadores por conta do surto de febre amarela na região.

Neste momento, segundo o diretor técnico científico da Fundação Hemominas, Fernando Basques, duas ações são trabalhadas especificamente. A primeira, para fortalecer a captação em unidades da Hemominas que não têm surto de febre amarela. A ideia, segundo Basques, é que “essas unidades aumentem a captação, de forma a atender à demanda que surge nas regiões Nordeste e Leste do estado, e também parte do Sul, que estão entre os principais focos”, observa.

Outro ponto, já direcionado à população de Valadares e região, é garantir que os doadores locais realizem suas doações antes de tomarem a vacina contra a febre amarela. “É sempre importante que as pessoas, principalmente da região do surto, se vacinem. Mas, antes de se vacinarem, é preciso que compareçam a uma unidade e façam sua doação. Isto porque, após vacinadas, as pessoas ficam sem poder doar sangue por quatro semanas”, explica Basques.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui