Um homem, de 63 anos, morador da cidade de Nova Era, pode ter sido vítima de um golpe de um suposto relacionamento por um aplicativo de rede social.

A vítima contou para a Polícia Militar que conheceu uma mulher via rede social WhatsApp, e que ela teria se apresentado como “Amanda”, e que seria da cidade de Santa Luzia. Segundo ele vinha mantendo contado telefônico apenas por mensagens com a mulher.

Anúncios
Continue lendo após o anúncio

Eles teriam marcado um encontro no último dia 17, quando a mulher chegou em Nova Era por volta das 22h, indo direto para um bar, onde o encontro aconteceu.

Ainda segundo relatos da vítima, para o encontro ele teria convidado outros dois casais e que teria saído do bar por volta das 02h10. Ao chegar em casa em seu veículo, Toyota Corolla, abriu a garagem e a mulher ficou do lado de fora fumando um cigarro e que após terminar, entrou na residência e estacionou o veículo no interior da garagem.

Ao desembarcar do carro foi abordado por dois homens negros, com os rostos cobertos por toucas ninja e com as cabeças cobertas pelos capuzes das blusas. Um deles estava armado, possivelmente com réplica de pistola e apontava a arma para o chão, sem fazer qualquer ameaça e passaram a exigir a senha do cofre. A vítima então afirmou que o cofre estava inoperante, sem senha e travado, momento em que, os autores subtraíram do bolso dele um valor aproximado de R$ 1 mil, um celular e uma jaqueta Italiana de cor preta. Eles ainda vasculharam todo interior do veículo sem contudo levar outros objetos.

O homem contou ainda para a polícia que foi trancado em um quarto por cerca de uma hora e somente conseguiu sair com ajuda de um vizinho.

A mulher teria ido embora durante o tempo que a vítima estava presa no quarto, simulando estar sendo sequestrada, pois segundo a vítima, a ouviu sorrindo na companhia dos autores.

Imagens de câmaras próximas e instaladas ao longo da cidade registraram que após a vítima sair do bar na companhia das pessoas relatadas por ele, durante todo trajeto pela cidade e no momento em que ele chegava à sua casa, os militares perceberam dois veículos, um Corsa Super e um Gol Bola, que ficaram o tempo todo na vigilância, aparentando estar seguindo o carro da vítima. Os veículos suspeitos passavam em frente à residência da vítima no momento em que ele chegava para guardar o automóvel.

Ainda segundo a polícia, foi observado nas imagens das câmeras que os veículos citados, circularam o quarteirão da casa da vítima diversas vezes, dando a entender que já o monitoravam bem antes dele chegar em casa.

Sobre a mulher a vítima não soube informar nenhum detalhe, sequer se o nome seria verdadeiro, entretanto afirma que ela participou de toda a armação do crime, pois, ficava manuseando o aparelho telefônico o tempo todo e ouviu-a sorrindo com os suspeitos no momento em que foi trancado no quarto.

Os policiais conseguiram rastrear o aparelho da vítima que foi roubado e ele apontou a localização em um ponto do bairro Gabiroba, em Itabira. Foi feito contato com militares daquela cidade para tentar abordar pessoas suspeitas e que poderiam estar de posse do celular, porém, o aparelho parou o rastreio.

A polícia concluiu que há de fato a possibilidade dos suspeitos mencionados pela vítima serem os mesmos que conduziam os veículos e que estariam em conluio com a suposta “Amanda”.

Até o momento nenhum suspeito foi preso.

Anúncios
Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui