Homem invade, limpa e faz de sede do Areão sua casa

Até mesmo uma cerca foi colocada na entrada da sede do Numear (fotos: Kátia Passos)

O Núcleo de Meio Ambiente do Areão (Numear), que deveria funcionar dentro do Parque Ecológico do Areão, em João Monlevade, virou a casa de um homem, identificado apenas como João. Ele invadiu o espaço há cerca de 30 dias.

No local, João construiu uma cerca limitando a entrada no núcleo, fez um fogão a lenha, varal para roupas e limpou a área que estava coberta de lixo. O novo morador tem também cuidado da vegetação em volta da sede. João, que segundo ele é da região metropolitana de Belo Horizonte, veio parar em João Monlevade a procura de trabalho. Como não conseguiu um emprego foi morar nas ruas. Depois, resolveu se mudar para a sede do Numear. O homem alega que ainda não procurou a Assistência Social do município em busca de ajuda.

A sede do Numear, assim como outros pontos do Parque do Areão está em completo abandono. Pichações, depredação e lixo marcam o lugar que passou por reforma há cinco anos e ganhou novo telhado e pintura. A intenção era transformar o ponto em um local de apoio aos alunos e escolas nas aulas de educação ambiental, o que não saiu do papel.

A reportagem esteve no local após receber denúncia do vereador Belmar Diniz (PT). Ele argumentou estar indignação com inoperância do poder público em colocar o Parque em condições e oferecer lazer aos cidadãos de João Monlevade. “Uma pessoa conseguiu arrumar a sede como moradia e quantas administrações já passaram por ali e não fizeram nada? Infelizmente sabemos do descaso do poder público e da falta de área de lazer. O que fazer com esse cidadão? Ele precisa ser acolhido pela Secretaria de Assistência Social”, comentou.

Memorial do Aço

Também dentro do Parque do Areão foi erguida parte de alvenaria do que deveria ser o Memorial do Aço. A obra é da gestão do ex-prefeito Gustavo Prandini e não teve continuidade. O empreendimento possui 360 metros quadrados de área construída e o investimento, feito em parceria com o Governo Federal, seria de aproximadamente R$ 318 mil sendo R$ 25 mil de contrapartida do município de João Monlevade. O dinheiro não chegou a ser repassado ao município que anunciou a desistência de continuar o projeto. A obra inacabada está abandonada e sem previsão de destinação. A intenção era de construir auditório com capacidade para 100 pessoas e espaço multiuso para receber palestras, pequenos eventos e exposições.

Banheiro queimado

Além do abandono de duas obras dentro do Parque, o banheiro masculino da área de eventos foi queimado. Lixo proveniente da última festa no local foi acondicionado dentro do sanitário e queimado por vândalos. O calor do fogo no cômodo fez com que os azulejos das paredes fossem arrancados. As chamas deixaram ainda o local completamente cinza e sem condições de uso. As cerâmicas quebradas, assim como o lixo que foi queimado no banheiro, continuam no local.

O outro lado

A prefeita Simone Carvalho Moreira (PSDB), por meio de sua Assessoria de Comunicação, disse que em breve todo o Parque do Areão receberá serviços de melhoria. Sobre a ocupação da sede da Numear, providências também serão tomadas.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui