Homem que foi torturado pelo patrão em João Monlevade deve ser indenizado

Um homem trabalhador rural deve ser indenizado em R$ 10 mil. Ele foi vítima de tortura, agressões físicas e ameaça de morte pelo dono da fazenda em que trabalhava em João Monlevade.

De acordo com a vítima, em junho de 2019, o dono da fazenda o acusou  de ter furtado uma arma de fogo. Em seguida, na tentativa de fazer o funcionário confessar o crime, o empregador teria torturado, humilhado e ameaçado o homem de morte. Ele fugiu e procurou a Polícia Militar, onde registrou um boletim de ocorrência.

Em sua defesa, o proprietário da fazenda afirmou que as acusações da vítima não poderiam ser comprovadas, mas, em depoimento, uma testemunha confirmou ter escutado os pedidos de socorro do funcionário.

A vítima teve diversos hematomas pela cabeça e um laudo da perícia confirmou que “houve ofensa à integridade corporal” do funcionário.

Decisão

A desembargadora da 4º Turma do Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT-MG), Paula Oliveira Cantelli, concluiu que o caso apresenta quatro elementos provando a veracidade das acusações da vítima. São eles: o laudo médico, a fala da testemunha, a coerência entre os depoimentos e um áudio em que o acusado admite os crimes.

A indenização de R$ 10 mil por danos morais foi confirmada pela desembargadora, mas o réu poderá recorrer. O inquérito da Polícia Militar, por outro lado, ainda continua em andamento.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui