Homem tenta estuprar a ex-companheira em João Monlevade

Um homem de 61 anos foi preso na noite desta quarta-feira (8), no bairro Novo Cruzeiro, depois de tentar estuprar a ex-companheira, de 64 anos. Quando a polícia chegou ao local, populares haviam detido o homem para que ele não fugisse. A mulher, que  possui uma medida protetiva contra o ex-companheiro, não foi estuprada porque gritou pedindo socorro.

Consta no registro policial que a mulher estava em casa com a filha. Por volta das 22h30, o ex-companheiro chegou na residência. Ele invadiu a moradia pela porta dos fundos e rapidamente acessou o quarto da vítima.

O homem tirou a sua roupa e arrastou a mulher para a cozinha. Ele também tirou a roupa dela. Nesse momento a vítima passou a gritar por socorro. O homem tentou fugir e foi contido por testemunhas que conseguiram segurar o autor até a chegada da polícia.

A mulher machucou a mão esquerda e reclamou de dores no braço direito. Ela foi levada ao Hospital Margarida, onde recebeu atendimento médico.

Telefones para denúncia

Disque 100

O canal de denúncia da Mulher, Família e dos Direitos Humanos é um serviço de proteção a crianças e adolescentes vítimas de violência sexual. Ele funciona diariamente, das 8h às 22h, e qualquer pessoa pode prestar uma queixa, seja menor ou maior de idade. O serviço também recebe denúncias que envolvem violação de direitos de grupos considerados vulneráveis, como minorias e a comunidade LGBTQ+. Aos fazer a ligação, você relata o caso e eles registram sua denúncia. Ela é encaminhada para o órgão responsável e depois há um monitoramento do Disque 100, que entra em contato você para dizer os próximos passos. A chamada é gratuita.

Disque 180

A Central de Atendimento à Mulher em Situação de Violência também é um canal anônimo de denúncias. Diferente do Disque 100, ele é estritamente reservado para casos de abuso e agressão contra mulheres. A denúncia pode ser feita 24h, por qualquer pessoa, de qualquer lugar do Brasil e de outros 16 países (Argentina, Bélgica, Espanha, EUA (São Francisco), França, Guiana Francesa, Holanda, Inglaterra, Itália, Luxemburgo, Noruega, Paraguai, Portugal, Suíça, Uruguai e Venezuela). O registro também é feito e enviado para a Segurança Pública. Uma cópia também vai para o Ministério Público. Se você for do sexo feminino e estiver vivendo em situação de vulnerabilidade ou enfrentando violência doméstica, esse é o primeiro canal ao qual você deve recorrer.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui