EXCLUSIVO:

Um homem, de 48 anos, identificado como Ermelindo Martins Nonato, o “Baiano” que estava desaparecido desde o dia 11 de janeiro, foi encontrado morto e enterrado em uma em meio a um bananal.

A Polícia Militar recebeu uma denúncia no último domingo (20), onde o denunciante contou que estava em um terreno na localidade de Pantaleão, lugarejo pertencente ao povoado de Vieiras, Zona Rural de São Domingos do Prata, e que estava pescando em um poço quando em um dado momento seu cachorro começou a escavar o solo e começou a latir, indicando que havia algo enterrado no local. Nesse momento ele aproximou-se com uma foice e bateu com ela no local vindo a sentir um odor forte odor.

O denunciante contou ainda que ouviu duas pessoas comentando sobre o fato e, temendo pela sua vida, deixou a região.

Quando a equipe policial chegou ao local, deparou com um pequeno poço de peixe, e a sua direita um bananal, com algumas bananeiras cortadas e um monte de terra, que ao ser revirada foi descoberta uma perna humana enterrada.

A Perícia Técnica da Polícia Civil foi acionada e durante os trabalhos, escavou o restante da terra sendo encontrado um cadáver, já em avançado estado de decomposição, com o crânio esmagado e com um extenso corte na região abdominal.

Os suspeitos, G.E.S, de 41 e D.G.G.S, de 33, moradores de João Monlevade, foram identificados.  Eles trabalhavam com a vítima no momento do crime e faziam uso de bebida alcoólica.

Em contado com D.G.G.S, ele confessou o crime aos policias e disse que estava cozinhando em um fogão à lenha quando ele e a vítima começaram a discutir por causa de uma faca e de uma carteira, que supostamente o “Baiano” havia furtado e que em dado momento desferiu um soco no rosto da vítima. Após o soco Ermelindo Martins caiu e o autor da agressão retornou para o interior da casa e ingeriu uma dose de cachaça. Quando retornava para fora ele deparou com o “Baiano” vindo em sua direção e o empurrou novamente ao solo, tendo neste momento o segundo autor, G.E.S,  entrado na briga para separá-los e pediu que Baiano devolvesse a carteira e a faca para o comparsa.

A vítima teria negado e o autor G.E.S, então pegou um toco de embaúba e desferiu um golpe na cabeça de Ermelindo Martins, porém ela quebrou. O autor apossou-se de outro pedaço de madeira mais resistente e desferiu novo golpe na cabeça da vítima, que caiu já inconsciente. Mesmo desacordado o autor desferiu mais três golpes no crânio da vítima que morreu no local.

Segundo a polícia, D.G.G.S, disse ainda que ajudou a arrastar o corpo da vitima por um trilho, a cavar a cova, a jogar e enterrá-lo em meio as bananeiras para ocultar o corpo.

Ainda de acordo com a polícia o autor, G.E.S, confirmou a versão contada pelo comparsa e ainda, que desferiu mais golpes após a vitima estar desacordada porque achou que ele ainda estava vivo, e que só fez isso porque a vitima “pediu pra morrer”. Disse também que despiu a vítima porque com as roupas, o corpo demoraria mais a se decompor.

Os dois autores receberam voz de prisão em flagrante e foram levados para a Delegacia de Polícia Civil.

 

Publicidade

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui