Incêndio destrói loja de equipamentos de segurança em João Monlevade

Toda a loja ficou destruída no incêndio que durou cerca de 2h

Um incêndio de grandes proporções por volta das 03h30 da madrugada deste domingo (22), destruiu completamente uma loja da empresa Eproin Comércio LTDA, que fica no primeiro andar de um prédio na Avenida Getúlio Vargas, 2.131, no Bairro Baú, em João Monlevade.

Uma equipe do Corpo de Bombeiros de Itabira foi acionada, mas devido à distância entre os municípios (tempo resposta elevado), a proporção do incêndio e a ausência de sistema preventivo de combate a incêndios na edificação, puderam apenas controlar as chamas e fazer o rescaldo do incêndio.

As chamas provocaram trincas em algumas paredes do estabelecimento, com risco potencial de desmoronamento. A fumaça em alta temperatura também atingiu uma boate que se localiza no segundo pavimento, gerando danos na parte elétrica, trincas na cozinha e banheiro, sendo os seus cômodos tomados pela fumaça.

O Incêndio também atingiu as áreas da cozinha e banheiros de uma empresa de reciclagem de materiais na área adjacente ao edifício.

Por volta das 12h deste domingo ainda era possível ver fumaça saindo dos escombros e proprietários da empresa cercaram a fachada com tapumes, para evitar a entrada de pessoas no local.

Segundo informações não houve feridos e a empresa não possuía seguros. Os prejuízos ainda serão calculados.

A Perícia Técnica da Polícia Civil deverá comparecer ao local para determinar  as causas do incêndio.

A empresa atua no mercado na assistência técnica aos usuários e distribuição de toda linha de equipamentos de proteção, ferramentaria, sinalização, soldas, corte, abrasivos, adesivos, roupas especiais e higienização e foi  uma das primeiras empresas do ramo a prestar modalidades de serviços em distribuição de equipamentos de proteção individual, e a primeira do Brasil, no ramo de distribuição de EPI’S a ser certificada pela DNV, referente à Norma de qualidade em  2002.

Publicidade

1 COMENTÁRIO

  1. Absurdo uma cidade deste tamanho não ter corpo de bombeiro, melhor que ficar gastando milhares de reais para reformar praça, daqui a pouco ja vai esta tudo como antes… e se fosse um prédio residencial, ja passou da hora de ter uma brigada de incêndio. Quem sabe agora não se toma uma providência.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui