Incêndio em comércio reacende debate sobre Bombeiros em João Monlevade

O incêndio que destruiu no final de semana que passou a loja de equipamentos de segurança – Eproin, no bairro Baú, reacendeu na Câmara de Vereadores os debates sobre a instalação de  uma unidade do Corpo de Bombeiros em João Monlevade.

Anúncios

Na reunião de ontem (25), o assunto voltou à pauta dos parlamentares que lamentaram a falta de um pelotão da corporação na cidade. Do PDT, Thiago Araújo (Titó), foi o primeiro a comentar a fatalidade que destruiu toda a loja, além de danificar uma boate no andar superior do prédio que foi consumido pelas chamas. “A Câmara fez o seu papel, mas não temos o poder para implantar o Corpo de Bombeiros no município”,  disse o parlamentar fazendo alusão às várias discussões sobre a questão e o não posicionamento formal da prefeita Simone Moreira (PSDB) em relação a questão.

Continue lendo após o anúncio

O vereador Gentil Bicalho (PT) também comentou o assunto e lembrou que ao lado do prédio que pegou fogo funciona o galpão de reciclagem da Atlimarjon. Caso as chamas se expandissem, os prejuízos poderiam ser ainda maiores. O parlamentar também cobrou respostas das administração municipal quanto a  uma indicação de sua autoria que prevê inspeção nos prédios públicos  com intuito de se evitar acidentes e/ou tragédias. “O documento é de setembro do ano passado e queremos respostas do  resultado da  inspeção e se as vistorias realmente foram feitas”,falou.

O tucano Guilherme Nasser lamentou o fato de a Câmara ser responsabilizada sobre a instalação da unidade dos Bombeiros na cidade. “ A dotação para a  implantação está disponível para a Prefeitura trazer para a cidade, seja o Bombeiro Militar ou o Civil”, finalizou.

Anúncios
Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui