Índices de criminalidade caem em João Monlevade em comparação ao ano passado

O balanço é do primeiro semestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2016

A informação foi passada pelo subcomandante durante uma coletiva na tarde de ontem (8)

Os índices da criminalidade na área da 17a Companhia de Polícia Militar Independente (17a Cia.PMInd), de João Monlevade, mostram números positivos de janeiro a junho deste ano, em comparação com o mesmo período de 2016.

Em entrevista ao site O Popular na tarde dessa terça-feira (18), capitão Felipe Gaigher, subcomandante da Unidade, que está à frente da Companhia durante o período de férias do major André Pedrosa, divulgou os números que apontam uma redução significativa no índice de crimes violentos na cidade e também na região.

Segundo o oficial no número de furtos houve uma redução de 14,98%. Já os crimes violentos tiveram uma queda de 10,8%, em toda a unidade. Em se tratando de João Monlevade a redução foi de 12%.

No primeiro seis meses deste ano foram presas cerca de 2.700 pessoas por diversos tipos de crimes. Somente pelo crime de tráfico de drogas, houve um aumento de 72,4% de prisões, em comparação ao ano passado.  Foram apreendias 7,8% a mais de armas de fogo neste período em toda unidade. O número de homicídios se manteve o mesmo do ano passado que foi de 14, entre janeiro e junho.

Nos primeiros semestre deste ano 5.151 pessoas foram abordadas em toda a unidade. Em João Monlevade foram 1.823 pessoas.

Capitão Felipe disse ressaltou o apoio da comunidade para que os índices de criminalidade caíssem consideravelmente. “O apoio da população que nos ajudou em diversas informações que culminaram com a prisão de alguns infratores pontuais, as operações, incursões e mandados de buscas e apreensões e de prisões, barreiras policiais no intuito de apreender armas e drogas”, disse.

Ainda segundo Capitão Felipe, outro fator que tem colaborado muito na redução de crimes foi a implantação do sistema de redes de proteção. “Essas redes englobam a de Vizinhos, Comerciantes e Fazendeiros Protegidos, em que as pessoas atuam como verdadeiras câmeras vivas circulando informações de cunho extremamente relevantes para a produção de segurança pública. Neste mesmo contexto eu ressalto as denúncias via 181, que fortalece muito o trabalho da polícia em João Monlevade”, concluiu o oficial.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui