Influenciados por sites, 40 menores se suicidaram em Moscou

Campanha chamada Bolsa Apadrinhamento Inclusão Digital, na qual convoca a comunidade para fazer doações de equipamentos ou dinheiro para estudantes

Um total de 40 menores de idade se suicidaram em Moscou ao longo de 2017 por influência de “grupos da morte” online, segundo informaram nesta terça-feira (6) fontes oficiais. “Há sites de suicidas. Só em Moscou e província, 40 meninos se suicidaram após acessar essas páginas”, disse hoje Alexandr Bastrikin, titular do Comitê de Instrução (CI) da Rússia. A informação é da EFE.

“Quantos menores a mais temos que perder para levarmos a sério esse assunto?”, perguntou o chefe do CI. Ele lembrou que previamente os investigadores russos propuseram o bloqueio dos sites suspeitos sem esperar a autorização judicial.

“Estamos falando de um enfoque equilibrado, sem cair em extremos. Precisamente na internet é onde hoje em dia há uma guerra pela nossa juventude, (temos que ver) o caminho que vamos tomar”, falou Bastrikin.

No ano passado, a Rússia aprovou uma lei que impõe penas de prisão de até seis anos pela indução ao suicídio de menores, numa tentativa de frear a propagação dos chamados “grupos da morte” nas redes sociais.

A norma, implantada depois que a imprensa denunciou a existência de “grupos da morte virtuais” que teriam incentivado o suicídio para mais de 100 adolescentes russos, elevou a incitação ao suicídio para a categoria de delito grave.

Segundo as estatísticas oficiais, o maior número de suicídios juvenis na Rússia foi registrado em 2016, com 720 mortes.

Publicidade

4 COMENTÁRIOS

  1. Fake news? Checaram esta fonte?
    Isto não é jornalismo, é sensacionalismo barato. Qualquer pesquisa séria e bem fundamentada no Google prova que isto é fake news.

    • Prezado,
      Como escrito no texto, as informações são da Agência de Notícia EFE. A título de curiosidade, a agência EFE é um serviço de notícias internacional e a quarta maior agência de notícias do mundo, primeira em idioma espanhol e principal provedor de serviços informativos para os meios de comunicação (imprensa escrita, rádio, televisão e internet) nos países de língua espanhola. Portanto, fonte confiável. Agradecemos o seu contato.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui