Inhotim exige comprovante de vacinação contra a febre amarela

O Instituto Inhotim, em Brumadinho, é um dos mais importantes acervos de arte contemporânea do Brasil e considerado o maior centro de arte ao ar livre da América Latina (Divulgação)

A visitação no Inhotim, um dos mais importantes centros de arte contemporânea do mundo, localizado em Brumadinho, só poderá ser feita por pessoas que já receberam a vacina contra a febre amarela. A medida foi anunciada pela assessoria de imprensa do parque e passa a valer na próxima terça-feira (23). Os visitantes já estavam recebendo repelentes ao irem à área verde por causa dos casos da doença que já tinha sido confirmados na cidade no início deste ano. No entanto, nenhum caso da enfermidade foi identificado dentro da unidade.

De acordo com o Inhotim, o cartão de vacinação deve ser apresentado pelos visitantes para comprovar a imunização. A dose terá que ter sido ministrada dez dias antes. A área verde já tinha sido alertada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) nos primeiros dias do ano sobre a doença, depois que dois moradores de Brumadinho foram confirmados com a enfermidade. Um deles morreu.

Devido a circulação do vírus da febre amarela, ao menos cinco parques estão fechados ou com restrição de visitação no estado. Entre eles, está o Parque das Mangabeiras e da Serra do Curral, na Região Centro-Sul de Belo Horizonte. Na capital, ainda tem alerta em três áreas verdes devido a proximidade com locais onde tiveram mortes de primatas. São eles: Estação Ecológica do Cercadinho, entre BH e Nova Lima; Parque Estadual Serra Verde, na Região Norte, e Parque Estadual da Baleia, na Região Leste. (Estado de Minas).

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui