Ipatinga recebe Encontro da Corregedoria

O 28º Encontro de Capacitação da Corregedoria (Encor) foi aberto na tarde de quarta-feira (18), em Ipatinga. Juízes de 58 comarcas da 3ª Região de atuação da Corregedoria-Geral de Justiça (CGJ) participam do encontro, que segue até essa sexta-feira (20). O Encor é uma realização da Corregedoria e da Escola Judicial Desembargador Edésio Fernandes (Ejef).

“Estamos aqui para trocar experiências, debater, refletir e posteriormente retornar para nossas comarcas com ações propositivas para o aperfeiçoamento da Justiça de Primeira Instância”, afirmou o corregedor Saldanha da Fonseca aos participantes. O magistrado destacou que esse é o quarto Encor de sua gestão e, como os anteriores, concentrou o foco na gestão de pessoas e das unidades judiciárias.

Publicidade

Público dividido em grupos (mesas) assiste a palestra
Magistrados de quase 60 comarcas estiveram presentes para discutir e aprender sobre assuntos relacionados a suas atividades

A palestra “Gestão de Pessoas e Mindset: a estratégia eficaz para o engajamento”, proferida pelo filósofo e mestre em psicologia Otávio Grossi, marcou o início dos trabalhos. O planejamento e a gestão de unidades judiciárias, os cartórios e temas do cotidiano forense integram ainda a programação do 28º Encor.

O corregedor Saldanha da Fonseca destacou a importância de os juízes conhecerem a situação de sua unidade no que se refere a produtividade, custo, satisfação de servidores e jurisdicionados. “A figura do juiz gestor é a que mais desponta neste tempo de desafios”, afirmou.

Corregedor fala em solenidade, em mesa de honra, cercado de autoridades
As juízas auxiliares da Corregoria Aldina Soares e Lívia Borba (de branco), o desembargador Carlos Roberto de Faria, à direita do corregedor-geral Saldanha da Fonsecam (no centro), o juiz convocado Fábio Torres, à esquerda do corregedor, e o diretor do foro de Ipatinga, juiz Luiz Flávio Ferreira

A fiscalização dos cartórios também foi abordada pelo corregedor em seu pronunciamento. Ele lembrou os juízes que é o dinheiro do Fundo Especial do Poder Judiciário (FEPJ) que custeia obras, investimento em informática, capacitação e treinamento de pessoas e despesas de custeio. “Esse conhecimento é fundamental para que tenhamos consciência da necessidade de uma fiscalização efetiva em relação ao recolhimento das custas e taxas”, disse.

“Tenho a convicção de que, ao final deste encontro, as apresentações, a troca de ideias e os debates irão contribuir para a solução dos desafios diários em suas unidades judiciárias”, disse o corregedor Saldanha da Fonseca.

Representando a 2ª vice-presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) e superintendente da Ejef, desembargadora Áurea Brasil, o desembargador Carlos Roberto de Faria afirmou que o Encor “tem produzido um fenômeno extraordinário de melhoria na qualidade, de forma objetiva, da prestação jurisdicional”.

Grupo debate temas em evento
Os participantes se dividiram em grupos para conversar sobre temas específicos

O desembargador Carlos Roberto Faria enalteceu o trabalho de formação feito pela Ejef atualmente com os juízes. Ele lembrou que, quando entrou para a magistratura, o curso inicial durava três dias; hoje, a Ejef trabalha com os novos juízes por um período de 4 a 6 meses.

O juiz convocado Fábio Torres de Souza representou o presidente do TJMG, desembargador Nelson Missias de Morais. Ele destacou a gestão profícua do presidente Nelson Missias, que faz do Judiciário mineiro um “time harmônico”.

O juiz destacou ainda os dados positivos sobre a Justiça mineira publicados no relatório “Justiça em Números”, anuário estatístico do Conselho Naciona de Justiça (CNJ). Ele salientou o fato de o TJMG apresentar o menor gasto por habitante, na comparação com os maiores tribunais do País, e ter melhorado sua produtividade.

Gestão de pessoas

“O que nos mantém felizes e saudáveis enquanto passamos pela vida?” Com essa pergunta, o filósofo e mestre em psicologia Otávio Grossi iniciou sua palestra, “Gestão de Pessoas e Mindset: a estratégia eficaz para o engajamento”.

noticia2-encor.jpg
Otávio Grossi tratou do papel das atitudes mentais positivas, da flexibilidade nas condutas e da qualidade das relações e hábitos para enfrentar os obstáculos da vida contemporânea

Mindset, segundo o palestrante, significa “atitude mental diferenciada”, ou seja, conseguir construir novas conexões frente aos apelos que o mundo hoje coloca. Grossi propôs aos juízes buscar um novo olhar sobre eles mesmos e sobre os processos de trabalho nas unidades judiciárias em que atuam.

Grossi apresentou duas pesquisas. A primeira acompanhou a vida de 724 homens, durante 75 anos, e descobriu que os bons relacionamentos são fundamentais para uma vida saudável.

A segunda pesquisa acompanhou líderes de grande desempenho para descobrir o que eles têm em comum. O trabalho mostrou que todos buscam autoconhecimento, praticam atividades físicas, possuem inteligência emocional, usam novas tecnologias, utilizam indicadores, entre outras características comuns.

Após a palestra, divididos em grupos, os juízes propuseram um plano de ação para a gestão de pessoas. Utilizando o modelo de gestão Canvas, cada grupo fez um diagnóstico de questões relacionadas ao tema e, no fim, apresentou sua conclusão.

O presidente da Associação dos Magistrados Mineiros (Amagis), desembargador Alberto Diniz Júnior, participou da solenidade e conversou com os juízes sobre a atuação da associação.

 

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui