Itabira está em situação de alerta devido focos do mosquito Aedes

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) divulgou nesta semana os dados do último Levantamento do Índice Rápido do Aedes aegypti (Liraa), realizado entre os dias 15 e 18 deste mês. De acordo com o indicador, Itabira encontra-se situação de alerta para o número de focos encontrados do mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. O índice médio de infestação é de 1,5% – as condições satisfatórias consideradas pela Organização Mundial de Saúde (OMS) assinalam um índice inferior a 1%.

A pesquisa aconteceu em 2.129 domicílios em 23 localidades do município. Destes, 32 apresentaram focos do Aedes aegypti. O Liraa é feito por meio de um programa do Ministério da Saúde (MS), que sorteia os bairros, quarteirões e imóveis a serem visitados. O método utilizado é a amostragem.

Mesmo com todos os esforços do Município para barrar a proliferação de focos do Aedes aegypti, a situação em Itabira é preocupante e inspira bastante cuidado. De acordo com a SMS, grande parte dos criadouros estão dentro das residências em vasos/ frasco com água, pratos, pingadeiras, recipientes de degelo em geladeiras, bebedouros em geral, pequenas fontes ornamentais, materiais em depósitos de construção (sanitários estocados, por exemplo) e depósitos para armazenamento doméstico (tonel, tambor, barril, tina, filtros, moringas, potes, cisternas e caixas d’água).

“Estamos em situação de alerta. Isso é preocupante por causa do tempo seco dos meses anteriores. No entanto, estamos nos aproximando de um período de muito sol e chuva, que cria ambientes favoráveis para a proliferação do mosquito. O nosso receio é que nos próximos meses esse índice seja muito maior, chegando até mesmo a uma situação de surto. Por isso é extremamente importante que a sociedade cumpra seu papel no combate ao Aedes aegypti”, explicou a superintendente de Vigilância em Saúde, Thereza Cristina Oliveira Andrade Horta.

A população deve continuar atenta aos cuidados para evitar a proliferação do mosquito. Tampar tonéis e caixas d’água, manter as calhas sempre limpas, deixar garrafas sempre viradas com a boca para baixo, lixeiras bem tampadas, ralos limpos e com aplicação de tela, limpar semanalmente ou preencher pratos de vasos de plantas com areia, limpar com escova ou bucha os potes de água para animais e retirar a água acumulada atrás da máquina de levar e da geladeira, são algumas das atitudes que todos devem proceder. A SMS solicita à população que denuncie sobre locais onde há focos do mosquito por meio do Disque Dengue: 3839-2600.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui