Itabira: Regional da Saúde discute plano em caso de rompimento de barragens

Com o propósito de discutir, definir e planejar ações prioritárias a serem adotadas na área de saúde com relação ao risco de rompimento de barragens nos municípios mineradores que compõem a Regional de Saúde da cidade Itabira, foi realizada nessa semana duas reuniões de trabalho com a presença do coordenador de Vigilância em Saúde da Regional de Belo Horizonte, Francisco Lemos, além de técnicos, coordenadores e secretários municipais de saúde da Gerência de Saúde.

Francisco Lemos relatou sua experiência em relação às ações e serviços de saúde desenvolvidos pela Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte por ocasião do rompimento das barragens de Mariana e Brumadinho.

Segundo o coordenador, é preciso estar atento e vigilante, tendo à mão um plano de ação consistente que norteie as ações de prevenção e controle das doenças e agravos que possam surgir caso haja o rompimento das barragens.

“É uma situação inusitada, que requer das autoridades sanitárias, da defesa civil, de meio ambiente, da ação social, da polícia militar e outros órgãos, um trabalho conjunto e planejado para conter os agravos que possam surgir a partir do desastre, que requer ações especiais, urgentes e objetivas. Essas ações devem estar alinhadas para que todos tenham uma só direção e possam garantir a eficiência do serviço”, explicou Francisco Lemos.

Darliéte Martins

O coordenador de Vigilância em Saúde da Regional de BH falou, ainda, da necessidade de formatação de um plano de contingência com dados e cadastros atualizados de toda a população que possa ser afetada pelo desastre, da análise prévia da qualidade da água e suas fontes para o consumo humano, monitoramento da população com ações e serviços de saúde realizados pela Atenção Primária em nível municipal, mapeamento das unidades básicas de saúde, das Unidades de Pronto-Atendimento (UPAS) e Prontos-Socorros, bem como da rede hospitalar regional disponível, das áreas físicas e propriedades, número e identificação de animais domésticos na região, e principalmente, dos registros de pacientes em tratamento de saúde para que não lhes faltem assistência quanto a consultas, medicamentos e exames necessários, que nesses eventos são ainda mais importantes.

A diretora Eliana Horta falou da necessidade de formulação do plano conjunto uma vez que a situação envolve muitos municípios que devem se apoiar mutuamente. ”Este encontro de trabalho é extremamente importante para a nossa região que vive praticamente da atividade mineradora. Temos que identificar todos os problemas possíveis para traçar um plano de emergência coerente e eficiente que atinja de forma integral a assistência aos nossos munícipes”, observou.

Estiveram presentes à reunião, além dos técnicos de todas as áreas da Regional, os municípios de Barão de Cocais, Itabira, São Gonçalo do Rio Abaixo, Santa Bárbara, Rio Piracicaba, Conceição do Mato Dentro e representantes do Conselho de Secretários Municipais de Saúde (Cosems Regional). A equipe decidiu pela organização de novos encontros para discussão e formulação do Plano de Contingência Regional de Prevenção de Acidentes e Agravos provocados pelo rompimento das barragens de contenção de minério a ser definido nos próximos dias.

“Novas reuniões serão definidas com toda a equipe para que possamos agilizar este trabalho que visa a organização de uma força tarefa preparada e em estado de alerta para possíveis demandas de atendimentos”, ressaltou Eliana Horta.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui