João Monlevade: negociação salarial não progride e greve pode ser definida

Prefeita não recebe funcionários públicos por causa de “bagunça”

Na tarde desta terça-feira (11), dezenas de funcionários públicos de João Monlevade participaram de mobilização para reivindicar reajuste salarial. A manifestação teve concentração na Praça do Povo. Posteriormente, os servidores foram para a Prefeitura da cidade, onde seria realizada uma reunião de negociação. No entanto, a prefeita Simone Carvalho (PSDB) adiou o encontro com a justificativa de que o movimento estaria causando tumulto. Isso porque os funcionários usavam apitos e gritavam palavras de ordem.

Novo encontro deve ocorrer na próxima segunda-feira (17), às 14h. Após, os servidores se reúnem em assembleia para deliberarem sobre as negociações definidas na reunião com a comissão de negociação. Não é descarada a possibilidade de greve da categoria.
Há quase 10 dias os servidores estão em estado de greve devido as negociações salariais não progredirem. Nessa terça, boa parte deles cruzaram os braços como forma de advertência. Funcionários públicos e a administração divergem quanto ao reajuste dos salários e do vale-alimentação.

A Prefeitura de João Monlevade ofereceu 5,38% de reajuste salarial e um acréscimo de R$ 14,00 no vale-alimentação. Os servidores pleiteiam reajuste de 14% e vale-alimentação de R$ 350,00 para todos os funcionários.

Publicidade

1 COMENTÁRIO

  1. Boa noite. Apenas uma correção. A administração ofereceu inicialmente 5,38% de reajuste salarial e 0,0% (não sei como se oferece 0,0%, pois o correto seria dizer que NÃO ofereceu) reajuste no vale alimentação, que vale ressaltar está a 4 anos sem reajuste. Após a categoria rejeitar a administração ofereceu 5,0% de reajuste salarial e 0,38% de reajuste no vale alimentação.

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui