João Monlevade tem quase dois acidentes com motos diariamente

Um cruzamento na avenida Gentil Bicalho, região central de João Monlevade, foi o último cenário que o casal Raydan Silva, 20 anos, e Emilly Vitória, 18, viram antes de bater na lateral de um carro. Os dois, por sorte, tiveram ferimentos leves e passam bem. O acidente aconteceu no final do mês passado.

Os jovens fazem parte de uma estatística que é cada vez mais preocupante: em João Monlevade, quase dois motociclistas (1,7) sofrem acidente de trânsito por dia na cidade. Os dados chamam a atenção, já que as motos representam somente 14,8% da frota total de veículos, conforme último levantamento divulgado pelo IBGE.

Dados levantados pela reportagem do site O Popular, junto à Polícia Militar, apontam que de 1º de janeiro até 30 de setembro desse ano, mesmo com a redução do fluxo de veículos por conta da pandemia, foram registrados 158 acidentes com motos. Do total, apenas em 25 não houveram vítimas.

O número é semelhante ao igual período de 2019, quando foram registrados pela Polícia Militar 159 acidentes envolvendo motocicletas. Desses, 143 resultaram em feridos e 16 sem vítimas.

Ainda conforme a Polícia Militar, a causa presumida que mais vezes aparece nos registros dos acidentes é a falta de atenção, sendo 67 casos em 2019 e 54 em 2020.

Na tentativa de reduzir o número de mortes e acidentes envolvendo motociclistas, a Polícia Militar de João Monlevade trabalha com campanhas educativas de trânsito, operações preventivas e também repressivas.

Sevor e os atendimentos

O Serviço Voluntário de Resgate de João Monlevade (Sevor), também a pedido do site O Popular, divulgou levantamentos de acidentes com motocicletas atendidos pelo grupo nesse ano. De janeiro a setembro foram 157 ocorrências em rodovias e vias urbanas. Desse total, 206 vítimas envolvidas (condutor e/ou garupa) precisaram ser socorridas e seis pessoas morreram.

Na noite do último sábado (3), o Sevor fez atendimento de acidente com moto na rua Juiz de Fora, no bairro de Lourdes

Os traumas mais frequentes nas vítimas que se acidentaram de moto são escoriações, suspeitas de fratura em membros superiores e inferiores, em alguns casos até fraturas expostas; luxações; hematomas e traumatismo cranioencefálico (em casos mais graves). Em 90 % das ocorrências atendidas, os envolvidos têm idade de 18 a 35 anos.

 

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui