João Monlevade tem um caso suspeito de febre amarela

É importante que a população se previna. Além de tomar a vacina, usar repelente e mosquiteiro

João Monlevade tem um caso suspeito de febre amarela, segundo informações da Vigilância em Saúde (Visa). O paciente está internado no Hospital Margarida com sintomas da doença. Exames dele foram enviados para análise em Belo Horizonte e devem ficar prontos na próxima semana. Um outro paciente que também está internado na unidade de saúde teve confirmada a doença. Ele é de Rio Piracicaba.

Na região, duas pessoas já morreram infectadas por febre amarela. Uma em Santa Bárbara e outra na cidade de Barão de Cocais. Em São Gonçalo do Rio Abaixo também há um caso confirmado.

Ainda conforme informações da Visa há vacinas em todos os postos de saúde de João Monlevade e é essencial a imunização contra a febre amarela. Pessoas com mais de 59 anos deverão consultar a equipe de saúde para avaliação do benefício desta imunização, levando em conta o risco da doença e o risco de eventos adversos nesta faixa etária e as contraindicações. Da mesma forma, as gestantes deverão consultar a equipe médica para que esta avalie as contraindicações.

Macacos

Ainda em João Monlevade três macacos foram achados mortos nos últimos dias. Os animais foram encontrados nos bairros Boa Vista, Vale do Sol e Tanquinho. Materiais dos primatas também foram encaminhados para exames.

Minas Gerais

Em Minas Gerais foram confirmados 47 casos de Febre Amarela, destes casos, 25 evoluíram para óbito e outros 99 casos continuam em investigação. O governo mineiro
declarou Situação de Emergência em Saúde Pública Regional. O decreto tem vigência pelo período de 180 dias, em razão do registro de casos prováveis de Febre Amarela no Estado.

A publicação tem o objetivo de facilitar e agilizar a adoção de medidas necessárias ao enfrentamento da doença. O Governo do Estado de Minas Gerais poderá adquirir insumos e materiais, bem como contratar por tempo determinado serviços estritamente necessários ao atendimento da situação emergencial, sem a necessidade de realizar licitação, para os municípios que integram a área de abrangência das Unidades Regionais de Saúde de Belo Horizonte, Itabira, Ponte Nova, Barbacena e Juiz de Fora.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui