Barragem do Pontal é uma das que impressionam pelo tamanho em Itabira - Foto: Divulgação Vale

A juíza da 1ª Vara Cível de Itabira, Karen Castro dos Montes,  determinou que a Vale suspenda o lançamento de rejeitos em dois diques que compõem a estrutura da barragem de Pontal, que recebe os descartes da Mina Cauê, na cidade.

A magistrada recomendou também que a empresa não realize atividades de construção, alteamento ou obras de qualquer natureza no complexo. A medida é necessária para que não sejam causadas vibrações nas áreas do entorno das referidas estruturas.

A decisão se baseou em notificação recebida pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), contendo informações preliminares sobre os diques Minervino e Cordão Nova Vista.

A Vale disse ter acatado a decisão e disse que os diques possuem declaração de estabilidade emitida em setembro de 2018.

Segundo a mineradora, a ordem nos diques Minervino e Cordão Nova Vista não tem impacto significativo nas operações da Mina Cauê, pois a Vale passou a direcionar a descarga da usina de Cauê para outras estruturas, que não interferem nos referidos diques.

Em cumprimento à decisão, a empresa alega ter interrompido as obras de manutenção no dique 2 do referido sistema de Pontal. Além disso, reforçou a vigilância e providenciará o cercamento de toda a área para evitar o acesso da população.

A Vale diz que as comunidades dos bairros próximos serão informadas sobre estas ações de bloqueio à área. (Com informações O Tempo).

 

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui