Leles se irrita com ausência de vereadores em Plenário e põe fim a reunião da Câmara

Os vereadores de João Monlevade retornaram do recesso parlamentar nesta quarta-feira (5) com a primeira reunião do segundo semestre de trabalhos. O encontro, que começa às 17h, terminou cerca de uma hora e meia depois por falta de quórum. Visivelmente irritado com a ausência de vereadores no Plenário, o presidente da Câmara, Leles Pontes (Republicanos), pôs fim ao encontro e foi duramente criticado.

Vereador Leles Pontes

Ocorre que a Câmara de João Monlevade possui 15 vereadores e apenas sete estavam no Plenário. Para o prosseguimento da reunião é necessária a presença de oito parlamentares. “Quando tiver reunião, vocês respeitem. Se não tem quórum é porque não querem reunião”, falou.

Reunião quente

Vereador Pastor Carlinhos

A reunião teve troca de farpas e muita pressão ao presidente. Desde o início do encontro, Leles vinha demonstrando certo desconforto ao ter que responder perguntas direcionadas pelos colegas vereadores. Uma delas, foi em relação à mudança do horário de funcionamento da Câmara, que voltou a ser das 8h ao meio-dia. O vereador Carlos Roberto Lopes (pastor Carlinhos- PL) foi quem provocou o assunto. “Um mês está num horário, num outro em outro horário. O setor público precisa falar um idioma só. Creio que seria bom o presidente falar mais aberto o que está acontecendo”, argumentou pastor Carlinhos.

“Coisas internas da Câmara não precisariam estar sendo expostas. Mas são cinco funcionários da limpeza e todos estão afastados. É ano eleitoral e não podemos contratar nenhum funcionário. Estamos sacrificando e mudando gente de setor. Voltei o horário para o período da manhã a pedido dos vereadores. Mais da metade dos servidores estão em Casa. Pedi para convidar alguns funcionários para ajudar. Decreto e atestado médico garantem o afastamento”, explicou Leles.

“Eu quero a ata”

Depois, foi a vez de Revetrie Teixeira (MDB) cutucar o presidente. Enfático, ele pontuou que não deu procuração para ser representando por nenhuma pessoa em reuniões com a Prefeitura. “Títulos de pessoas representando os vereadores tem que acabar nesta Casa”, falou.

Chateado, Revetrie também questionou o motivo de não ter sido informado sobre um encontro que teria ocorrido para a definição da Receita Federal de João Monlevade. “Estava internado em janeiro e não estava aqui. Se teve uma conversa com o presidente da Casa, com A ou com B, não foi reportado por este vereador”, falou.

Revetrie Teixeira

Ele também fez críticas a um encontro ocorrido no gabinete da Prefeita Simone Moreira (PTB) com um servidor da Câmara de Vereadores lotado na Assessoria de Comunicação da Casa. “Eu quero a ata da reunião onde fui representado no encontro com a prefeita. Peço ao senhor que solicite e me entregue o mais rápido possível. Cada vereador toma conta do seu mandato, não tenho rabo preso e parem de ficar mandando recadinho”, disse em tom áspero.

Em resposta a Revetrie, Leles falou que era para que o vereador pedisse o documento a quem foi à reunião no gabinete. Sobre o encontro que definiu sobre a permanência da Receita Federal em João Monlevade, o presidente limitou-se a falar que foi procurado como cidadão usuário e não como presidente da Casa. “Se fosse representar vereador chamava vocês todos”, encerrou o assunto.

 

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui