Mais de 50 policiais civis e militares participam de ações contra o tráfico em Monlevade

Ações contra o tráfico de drogas em João Monlevade e cidades da região mobilizaram 28 policiais civis e 25 militares, nesta quarta-feira (22). As informações sobre o desdobramento das operações foram repassadas em uma coletiva com a imprensa.

Participaram da reunião o responsável pela 4ª Delegacia Regional de Polícia Civil, Paulo Tavares; a delegada Camila Batista, os inspetores da Polícia Civil Anderson de Assunção e Eliel Martins; e 2º tenente da Polícia Militar, Ezequias Silva Rodrigues.

Policiais apresentaram dados de operações (Kátia Passos)

Durante a coletiva, os policiais pontuaram sobre a segunda fase da Operação Ressurreição. A ação policial foi desencadeada pelos setores de inteligência das polícias civil e militar, a partir da prisão de um homem no ano de 2018. Desde então, alvos vem sendo monitorados e, nesta quarta-feira, foi cumprido um mandado de busca e apreensão e um de prisão, pela Polícia Civil.

Na operação, um homem foi detido no bairro Loanda. Na casa dele foram encontradas duas porções de maconha e dezenas de peças de carros e motos. “O investigado, inclusive, presta serviços de entregas para os Correios”, pontuou a delegada Camila Batista. A policial enfatizou que a polícia acredita que o homem mantinha na garagem de sua casa um desmanche.  Ele pode responder por tráfico de drogas, receptação e adulteração de sinal identificador (placas, chassis e outros).

A Polícia Militar, nessa Operação, cumpriu outros dois mandados de busca e apreensão e dois de prisão. Um deles, no bairro Santa Cruz, em João Monlevade e outro na zona rural de Rio Piracicaba. “A ação da polícia não acaba aqui. Teremos mais desdobramentos. É bom darmos retorno à sociedade dos resultados alcançados”, frisou o tenente da PM, Ezequias Rodrigues.

Durante a coletiva, os policiais também falaram sobre a Operação Degustare. Na ação dois homens foram presos. Eles usavam uma lanchonete no centro comercial de João Monlevade para lavar dinheiro do tráfico. Os sócios também tinham um laboratório para refino de cocaína.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui