Mais Rigor: Prefeitos da região avaliam publicar novos decretos contra pandemia

Coordenador da Vigilância Epidemiológica da GRS, Marcelo Barbosa, chamou a atenção para o fato de que a taxa de incidência de covid-19 nas microrregiões de João Monlevade e Itabira

Prefeitos das 18 cidades que compõem a Associação dos Municípios da Microrregião do Médio Piracicaba (Amepi) avaliam a possibilidade de endurecer os decretos, que tratam dos horários de funcionamento de atividades comerciais, com potencial de aglomeração de pessoas, para enfrentamento da pandemia.

O assunto foi tratado em uma reunião realizada na manhã desta segunda-feira (1) na sede da Amepi, em João Monlevade. Também participaram da reunião secretários municipais de saúde dos municípios associados e técnicos da Gerência Regional de Saúde (GRS) de Itabira.

Durante a reunião, o prefeito de João Monlevade, Dr. Laércio Ribeiro (PT), falou que o momento exige uma tomada de atitude urgente de todos os prefeitos da região, em virtude da situação da pandemia que se agrava em todo o país. “Precisamos tomar uma decisão rápida. Não pode passar desta semana”, explicou.

O prefeito de Barão de Cocais, Décio dos Santos (PSB), pediu que a decisão dos prefeitos ocorra de forma coesa. Para ele, é preciso respeitar as particularidades de cada município, mas os prefeitos não podem apresentar decretos completamente díspares. Caso contrário, as ações não terão efeito.

O vice-presidente da Amepi, e prefeito de Itabira, Marco Antônio Lage (PSB) demonstrou bastante preocupação com a situação. Mesmo não participando presencialmente, ele acompanhou a reunião através de vídeo e incumbiu a técnica da Vigilância em Saúde (Visa) de Itabira, Marly Procópio, de apresentar dados sobre o avanço da doença naquele município.

Conforme números apresentados pela técnica, se nada for feito, poderá haver colapso dos leitos de covid-19 nas próximas semanas em Itabira. Também por vídeo, Marco Antônio explicou que o momento exige não só união dos prefeitos, mas também agilidade.

A diretora da GRS de Itabira, Maria Aparecida de Oliveira, confirmou o momento delicado e informou que poderá haver a transferência de pacientes de covid-19 entre as microrregiões que compõem a regional. Ela explicou que se faltar leitos em Itabira haverá transferências para João Monlevade e vice-versa.

Coordenador da Vigilância Epidemiológica da GRS, Marcelo Barbosa, chamou a atenção para o fato de que a taxa de incidência de covid-19 nas microrregiões de João Monlevade e Itabira, acumuladas entre março de 2020 e fevereiro de 2021, são mais altas que a média do estado e da macrorregião centro.

A taxa de incidência estadual é de 4089,5 casos. Na macrorregião centro o índice é de 3986,8. Já na microrregião de Itabira esse número é de 5.622,2 e na microrregião de João Monlevade, que é composta pelos municípios de João Monlevade, São Domingos do Prata, Nova Era, Rio Piracicaba e Bela Vista de Minas, a taxa de incidência de 4.423,6.

Após as explanações, prefeitos e secretários de saúde que estiveram na reunião, concordaram com a necessidade de tomarem ações mais urgentes. Foi definido que após discutirem a situação com seus procuradores jurídicos, os prefeitos farão uma videoconferência amanhã às 14h.

O município de João Monlevade ainda foi representado pela secretária de Saúde, Mirellié Marcenes Santos e pela secretária adjunta de Saúde, Simone Borba. A primeira dama, Rosângela Ribeiro, também participou da reunião.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui