Monlevade: pesquisadores simulam tratamento de água em caso de rompimento de barragem

Técnicos da Vale e da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), juntamente com servidores do Departamento de Água e Esgoto (DAE), reuniram-se na última quarta-feira (11) a fim de realizar o ensaio de tratabilidade da água na própria Estação de Tratamento de Água em João Monlevade.

A primeira fase dos trabalhos de análise foi realizada no laboratório da UFMG em Belo Horizonte no mês passado. Já essa segunda fase de estudos, in loco, propiciou o contato da proposta técnica com a realidade das condições físicas e instrumentais do tratamento da água para a cidade de João Monlevade.

Coordenado pelas professoras da UFMG, Mirian Cristina Santos Amaral e Lucilane Valéria de Souza Santos, o estudo concluiu pela possibilidade de tratamento da água caso haja o rompimento da Barragem Sul Superior na Mina de Gongo Soco, mantendo-a nos padrões de potabilidade exigidos pelas portarias do Ministério da Saúde.

Conforme acordo homologado judicialmente pela 1ª Vara Cível da comarca de João Monlevade, a Vale comprometeu-se a apresentar o relatório completo de potabilidade, bem como assumiu o compromisso de arcar com os custos adicionais com o tratamento da água considerando o pior dos cenários de qualidade.

Todo este trabalho faz parte da solicitação da Comissão Emergencial, nomeada pela prefeita Simone Carvalho Moreira, para garantir a segurança do abastecimento de água na cidade de João Monlevade, em caso de rompimento da barragem Sul Superior.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui