Uma jovem de João Monlevade, de 25 anos, matou o irmão dela, de 19 anos, e cometeu suicídio na manhã desta terça-feira (27). A tragédia em família aconteceu no bairro Bonsucesso, na região do Barreiro, em Belo Horizonte, onde moravam com os pais. O rapaz, segundo informações da polícia, era portador de necessidades especiais.

As primeiras apurações indicam que Juliana Cristina de Andrade estava em um quadro de depressão, o que pode ter sido o motivador do crime. Ela asfixiou o irmão, Matheus Henrique de Andrade e depois se matou. Ainda segundo apurações, ela pode ter feito isso com o rapaz por se sentir responsável por ele.

A jovem deixou uma mensagem de despedida numa rede social, pedindo perdão aos pais: “Pai, mãe, perdão. Não consigo. Não adianta fingir. Eu e Maheus não temos futuro. Só um último pedido. Não nos enterre em Monlevade, pelo amor de Deus. Amo vocês”.

A mãe da jovem foi quem achou Juliana. Por volta das 5h, ao chamar a jovem para ir ao trabalho, ela viu o corpo no chão, com um cinto no pescoço. O acessório estava preso à cama. Rapidamente o pai foi até o quarto, tirou o cinto do pescoço da filha e tentou reanimá-la com massagem e respiração, mas sem sucesso.

Segundo informações do pai repassadas para a polícia, quando a esposa dele pegou o celular da filha para chamar o socorro, viu o Facebook dela aberto com a mensagem. Os dois foram então ao quarto do outro filho e depararam com o adolescente deitado com as mãos no rosto e sangue na boca. Eles também tentaram reanimar o jovem, mas ele não reagiu. Conforme a PM, a o rapaz tinha uma marca roxa no pescoço aparentando enforcamento.

Ainda de acordo com a PM, o pai das vítimas disse que a filha tinha problemas psicológicos por conta de uma desilusão amorosa, mas que aparentava estar tranquila nos últimos dias.

Aguarde novas informações.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui