Museu de arte popular alaga pela oitava vez

Pela oitava vez, o Museu Casa do Pontal foi alagado pela chuva no Rio de Janeiro. Desde a noite de ontem (1º), a equipe da instituição trabalha para reduzir os prejuízos no local. O museu ficará fechado até sexta-feira (6).

Importante museu de arte popular brasileira, a Casa do Pontal reúne mais de 9 mil obras de cerca de 300 artistas de 20 estados brasileiros. O museu conta com certificação da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). O espaço é também tombado como patrimônio cultural do Rio de Janeiro.

Desde o ano passado, o museu realiza campanha de financiamento coletivo para finalizar as obras da nova sede. “A obra deve terminar no fim de julho e havia grande apreensão com as chuvas de verão. Infelizmente, o pior ocorreu de novo. Os prejuízos ainda estão sendo avaliados”, diz em nota a Casa do Pontal.

De acordo com o museu, as inundações de abril de 2019 e março de 2020 são resultado da urbanização no entorno da instituição, no bairro do Recreio dos Bandeirantes, na Barra da Tijuca. Com as edificações no entorno, o terreno onde o museu está localizado ficou abaixo da cota das novas ruas.

Agora, o museu deve ser transferido para a Barra da Tijuca, localizado também na zona oeste do Rio, onde recebeu da prefeitura um terreno. “O objetivo do financiamento coletivo é finalizar a nova sede do Museu do Pontal para salvar definitivamente o maior acervo de arte popular do Brasil. Não podemos perder mais um museu, nem para os incêndios nem para as enchentes”, acrescenta a instituição.

Recomendações da prefeitura

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, percorre na manhã de hoje (2) os locais atingidos pela forte chuva na cidade. De acordo com o Alerta Rio, entre 0h de domingo (1º) e 8h desta segunda, choveu mais da metade da média para o mês de março em toda a cidade.

O Centro de Operações Rio recomenda à população que permaneça em local seguro, que apenas se desloque se estiver em área de risco ou em caso de extrema necessidade, que adie compromissos e que ofereça abrigo a amigos e familiares.

A Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil recebeu, das 20h30 de sábado (29) até a manhã desta segunda, 349 chamados. Os principais foram por desabamento de estrutura, totalizando 121 chamados; deslizamento de barreiras e encostas, 79; ameaça de desabamento de estrutura, 63; e imóveis com rachadura e infiltração,  31.

Agência Brasil

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui