A reforma do Museu do Tropeiro, no distrito de Ipoema, foi finalizada. Após quase um ano fechado, neste sábado (18), os visitantes do espaço cultural, que abriga um grande acervo histórico sobre o tropeirismo, poderão desfrutar de um ambiente totalmente revitalizado.

A solenidade de reabertura será às 17 horas e contará com exposição de oficina de artesanato, apresentação das Lavadeiras de Ipoema e Estaladores de Chicotes, shows musicais com Quincas da Viola e a dupla Zalico e Zalinho, além de barraquinhas com comidas e bebidas típicas da região.

Em reforma desde o mês de abril do ano passado, o prédio passou por reforço estrutural, recuperação de esquadrias e piso de madeira, revisão do telhado, manutenção das instalações elétricas e hidráulicas, projeto e implantação do sistema de prevenção e combate a incêndio e pintura interna e externa.

O valor das obras, que ficou sob responsabilidade da Secretaria Municipal de Obras, Transportes e Trânsito (SMOTT), foi de R$ 95.499,72. O Museu do Tropeiro foi inaugurado em março de 2003 e esta é a primeira vez que o imóvel passa por reforma.

“Preservar os espaços antigos do nosso município é proteger a nossa identidade e significa dar a eles a manutenção adequada e modernização de suas estruturas. Foi necessário revitalizar o prédio porque é um espaço que, por sua própria constituição, é vulnerável e contém material altamente vulnerável a ser consumido em um incêndio”, disse o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Inovação e Turismo (SMDECTIT) – pasta responsável pelo Museu do Tropeiro e outros pontos turísticos de Itabira – José Don Carlos Alves Santos.

Para Ronaldo Magalhães, além da necessária manutenção do imóvel, o sentimento é de gratidão pelos moradores do distrito. “Em Ipoema, a comunidade abraça esse projeto com muita dedicação. Eles cuidam, divulgam e valorizam o Museu do Tropeiro, que vai muito além de uma obra, pois é reconhecido no país inteiro”.

O prefeito ressaltou ainda as oportunidades que o tropeirismo oferece à Itabira. “Nosso trabalho também é abrir caminhos para a diversificação econômica e o turismo é um deles. Estamos, por exemplo, buscando parcerias com outros museus de Minas Gerais, para que o Museu do Tropeiro receba exposições de relevância à cena histórica local”, finalizou Ronaldo Magalhães.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui