Notícias falsas, mulheres na política e orientações sobre eleições são pautas de reunião com Cartório Eleitoral

O Cartório Eleitoral de João Monlevade promoveu a sua primeira reunião com pré-candidatos, equipes de coordenação de campanhas, imprensa, juiz e promotor eleitoral para tratar das eleições municipais. O encontro foi on-line devido a pandemia do coronavírus e ocorreu nesta manhã (26).

Hortência Trindade, chefe do Cartório

Hortência Trindade, chefe do Cartório, conduziu a reunião. Ela explicou sobre prazos estabelecidos pela Justiça Eleitoral e destacou que nesse ano, por conta da pandemia do coronavírus, pré-candidatos e partidos políticos devem se atentar para o preenchimento e envio de documentos de forma virtual.

Segunda ela, o contato pessoal está reduzido na maior parte dos processos eleitorais. Hortência lembrou que o Cartório não voltou às atividades presenciais. Portanto, dúvidas podem ser sanadas pelo email: [email protected]

Juiz eleitoral, Estevão José Damazo

O compartilhamento de notícias falsas foi lembrando pelo juiz eleitoral, Estevão José Damazo. Ele frisou que os envolvidos no pleito devem desestimular o eleitor no repasse das fakes news. Como as redes sociais estão ganhando cada vez mais força no processo de eleição, o magistrado ponderou sobre a responsabilidade de cada um. O juiz ponderou ainda que notícias falsas podem causar dano moral às pessoas e até mesmo prejudicar todo o processo de eleição.

Promotor eleitoral, Reinaldo Pinto Lara

Já o promotor eleitoral, Reinaldo Pinto Lara lembrou que nessas eleições os partidos políticos devem preencher as cotas de gênero para as mulheres. Do total de candidatos, 30% devem ser do sexo feminino. A intenção é estimular a participação das mulheres na política. Ele alertou que a Justiça Eleitoral está de olho nas candidaturas fictícias, já que é obrigatório preenchimentos das cotas. Portanto, os partidos políticos também devem se empenhar no registro das candidaturas femininas. A disputa de vagas por servidores públicos também está na mira da Justiça. Isso porque, conforme o promotor, ainda há casos em que o funcionário usa a eleição para “tirar férias”, já que ele deve se afastar das atividades para a disputa política.

Nessa quinta-feira (27), ocorre mais uma reunião virtual sobre eleições com foco nas cidades de João Monlevade e Rio Piracicaba. O assunto do dia será propagandas eleitorais.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui