A população masculina dedica pouco interesse com a assistência médica preventiva no Brasil. “A estimativa é de que apenas 20% dos homens procurem avaliação urológica ou médica com a finalidade de verificar o estado de saúde”. A declaração é do urologista Jamilton Dias de Sousa, durante palestra sobre câncer de próstata, proferida na sexta-feira (3), no Centro Cultural, em São Gonçalo do Rio Abaixo.

Scheila Oliveira
O evento integra a programação alusiva ao movimento Novembro Azul promovida pela Prefeitura de São Gonçalo, por meio da Secretaria Municipal de Saúde. Dezenas de homens prestigiaram a palestra que contou também com a presença de mulheres e do prefeito Antônio Carlos Noronha Bicalho.

O pouco interesse dos homens em saúde preventiva também foi destacado pelo Secretário de Saúde, Almir Santos. Na abertura do evento, ele alertou que estatística do Instituto Nacional do Câncer (Inca) calcula que sejam diagnosticados no Brasil 61,2 mil novos casos de câncer de próstata e cerca de 13 mil mortes em 2016.

Prevenção

A prevenção é a alternativa apontada pelo urologista Jamilton Sousa para reduzir o número de mortes. “A única forma de garantir a cura do câncer de próstata é o diagnóstico precoce”, alerta o médico.

Jamilton SousaACOM PMSGRA A recomendação é de que os homens procurem médico a partir dos 50 anos de idade, ou a partir de 45 anos, em caso de histórico familiar. Por meio do toque retal é possível avaliar alterações da próstata. O diagnóstico precoce contribui para que as chances de cura girem em torno de 90%.

Como na fase inicial o câncer de próstata não apresenta sintomas, quando alguns sinais como dor ao urinar e presença de sangue da urina, por exemplo, começam a aparecer é sinal de que a doença pode estar em fase avançada dificultando as chances de cura.

Atendimento Noturno

Os Postos de Saúde em São Gonçalo do Rio Abaixo promovem atendimento médico no período noturno. A ação permite que a população que trabalha durante o dia dedique tempo com a saúde preventiva.

Almir Santos - ACOM PMSGRAA coordenadora do programa Estratégia em Saúde da Família (ESF), Sheila Cristina de Oliveira, observa que, em geral, homens não apresentam atestados ou declarações de comparecimento a consultas médicas e após implantação das consultas noturnas, a presença masculina nos postos de saúde do município aumentou consideravelmente. “Pós atendimento noturno, observamos um número grande de homens indo consultar. Orientamos que neste mês de novembro e em todos os meses do ano, a população procure um médico para atendimentos de prevenção”, orienta Sheila.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui