Nem mesmo a chuva impediu que os advogados saíssem em passeata pelas ruas da cidade

A 75ª  Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) de João Monlevade realizou na manhã desta sexta-feira (28), um movimento em apoio a greve geral convocada para hoje em todo o país, contra as reformas Trabalhistas e da Previdência Social, impostas pelo presidente Michel Temer (PMDB).

Nem mesmo a chuva que caia sobre a cidade, pela manhã, tirou o ânimo dos cerca de 20 advogados. Eles se reuniram em frente ao Tribunal da Justiça do Trabalho de onde saíram em passeata pelas avenidas Getúlio Vargas e Wilson Alvarenga. Eles se juntaram a outro grupo de manifestantes que estavam protestando na Praça do Povo, em Carneirinhos.

Com faixas e cartazes os manifestantes fecharam as duas pistas da Avenida Wilson Alvarenga e recebiam o apoio de pedestres e motoristas que passavam pelo local.

Segundo a presidente da 75ª Subseção da OAB de Minas Gerais, a advogada Larissa de Oliveira Santiago Araújo, a categoria atende a uma convocação do Sindicato dos Trabalhadores da OAB, que apóia a paralisação geral, e por isso as salas do órgão estão fechadas em todo o Estado, bem como a Justiça do Trabalho. “A manifestação de hoje dos advogados é no sentido de apoiar o movimento grevista, nós não estamos fazendo greve, mas apoiamos a greve que é um direito Constitucional de todo cidadão e a manifestação também. A nossa manifestação ela é institucional apartidária e estamos aqui  para mostrar para a sociedade que o projeto tal qual como está ele violando direitos e garantias conquistadas historicamente pelos trabalhadores”, pontuou Larissa.

Larissa disse que os advogados não estão em greve, mas sim apoiando o movimento grevista deflagrado em todo o país

A presidente da OAB falou ainda sobre os prejuízos que as mudanças vão trazer para o trabalhador. “São direitos que não podem ser ceifados como, por exemplo, a homologação de um termo de rescisão de contrato de trabalho que hoje é feita no sindicato da categoria passa a ser feita na empresa com a presença das partes e advogados”, disse Larissa. Ainda segundo ela a população precisa estar ciente das mudanças propostas pelo governo que vão impactar principalmente nos direitos conquistados pelos trabalhadores. “Os advogados querem informar isso à sociedade para que todos tenham conhecimento do que está sendo aprovado pelo Congresso e repudiem essas notas que estão sendo evidenciadas para aprovação”, concluiu a presidente da OAB.

Os manifestantes fecharam as vias por cerca de meia hora e depois, parte deles seguiram rumo a BR-381, no bairro Santo Hipólito onde fecharam a rodovia federal. Eles utilizaram um carro de som do Sindicato dos Metalúrgicos de João Monlevade para bloquear a rodovia por cerca de 40 minutos. A Polícia Rodoviária Federal (PRF) acompanhou o ato de perto e conversou com os manifestantes e as pistas foram liberadas.

Agora a tarde um novo protesto ocorre no centro da cidade. Escolas públicas não abriram hoje, assim como a Rede Doctum. A Justiça do Trabalho não teve expediente e documentos que deveriam ser pagos hoje na instituição podem ser quitados na próxima terça-feira (2 de maio), sem juros.

Nota da OAB

A OAB enviou, agora a tarde, uma nota sobre o ato em João Monlevade.

Nota da 75ª Subseção de João Monlevade

A diretoria da Seccional Mineira, por meio do Presidente da OAB/MG, Dr. Antônio Fabrício de Matos Gonçalves, oficiou a todos os presidentes de Subseção acerca do requerimento do sindicato dos funcionários da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção de Minas Gerais e da deliberação daquela diretoria no sentido de liberar a presença (com abono de ponto) de todos os empregados da casa, no dia 28 de abril.

Em João Monlevade não foi diferente e os funcionários da 75ª Subseção tiveram suas presenças liberadas.

A OAB/MG sempre se pautou e se dedicou na defesa do jurisdicionado e da advocacia mineira na labuta diária do embate dos processos judiciais. As reformas trabalhista e previdenciária ora propostas afetam a todos os trabalhadores, que sofrerão com as mudanças que se avizinham.

A OAB sabe do protagonismo das discussões sobre as reformas e da nova lei de terceirização e acredita que a OAB, em virtude de seu compromisso sério e responsável com a vanguarda nos grandes temas de interesse nacional, não pode se omitir no presente momento, assim como não se omitiu em outros capítulos históricos a vida dos brasileiros.
Por esse motivo, no dia 28/04/2017, os advogados da 75ª Subseção, em cem respeito e de acordo com o entendimento da OAB/MG, se reuniram em frente ao prédio da Justiça do Trabalho de João Monlevade, com o objetivo de realizar uma manifestação de cunho social e apartidária, em repúdio ao Projeto de Lei nº. 6787/2016, principalmente nos pontos que diminui ou suprime direitos historicamente conquistados pelos trabalhadores brasileiros.

Larissa de Oliveira Santiago Araújo
Presidente da 75ª Subseção de João Monlevade”

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui