Padre é morto a facadas e tem corpo queimado; um suspeito foi preso

Padre Adriano da Silva Barros

Um homem de 22 anos é o principal suspeito de ter matado a facadas o padre Adriano da Silva Barros, 36 anos, vigário paroquial da Paróquia de São Simão, em Simonésia. O corpo do religioso foi achado carbonizado, no final da tarde desta quarta-feira (14), num terreno em Manhumirim.

O suspeito do crime, segundo a Polícia Militar, teria assumido a autoria do homicídio e alegou que teria um relacionamento amoroso com o padre e que os dois se desentenderam por causa de pagamento de um valor em dinheiro.

Um adolescente de 16 anos também foi apreendido. Ele estava junto do rapaz de 22 anos e disse que sabia do crime, mas não contou nada a ninguém. Ele também será investigado.

Padre sumiu na terça-feira, dia 13

O padre Adriano estava desaparecido desde o final da tarde da última terça-feira (13). Ele teria ido visitar a mãe doente, na cidade de Martins Soares, e retornaria para Simonésia, para celebrar uma missa na paróquia na zona rural.

A última vez que o padre foi visto foi no Centro de Reduto, em seu veículo, um Chevrolet/Onix, branco. A vítima estava na companhia de sua irmã, a última pessoa com a qual ele teve contato.

Segundo relato, o padre desde então não entrou em contato, não atendia o celular e as mensagens enviadas ao seu celular não foram visualizadas. No dia seguinte,  a PM foi acionada por um morador Córrego Pirapetinga, em Manhumirim, que visualizou um fogo em seu terreno e ao deslocar ao local para apagar, localizou um corpo carbonizado.

Equipes da PM e da Polícia Civil foram até o local, a perícia constatou ferimentos provocados por facas. Irmãos do Padre também estiveram presentes no local, e reconheceram o corpo.

Suspeito foi visto no carro 

Desde o início da diligências, a Polícia Militar começou a reunir informações que pudessem contribuir para a identificação da autoria. E uma das equipes que estavam no rastreamento, se recordaram que cerca de uma hora antes da localização do corpo, abordaram próximo ao local dos fatos um indivíduo 22 anos, na companhia de um menor de 16 anos, e o autor apresentava um certo nervosismo e estava com um corte na mão esquerda. E como não sabiam do fato ainda, os militares liberaram os abordados.

Após a mensagem da localização do corpo ser transmitida, outra equipe PM relatou que teria visto este homem de 22 anos, em data anterior, entrando no carro da vítima em Manhumirim.

Diante disso, guarnições seguiram até a casa onde o suspeito reside, onde ele foi localizado. De início ele negou os fatos, porém, ao ser questionado, por várias vezes entrou em contradição e ao final assumiu a autoria do fato.

O autor de 22 anos, assumiu que teria matado a vítima a facadas na data no dia 13 e que na quarta-feira, 14, voltou ao local para queimar o corpo e assim não deixar pistas.

O menor que estava junto alegou não ter participação, porém sabia do fato e não falou nada com ninguém, motivo pelo qual também foi apresentado na delegacia acompanhado de seu pai.

O carro do padre teria sido levado por um parente do suspeito para o Estado do Rio de Janeiro. As investigações prosseguem.

Veja vídeos da PM sobre o caso:

 

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui