A Polícia Civil de Minas Gerais, através de operação conjunta entre as Delegacias de Polícia Civil de Ipatinga e Divino, cumpriram na manhã desta quarta-feira, 10, um mandado de prisão decretado pelo Poder Judiciário da comarca de Divino/MG, contra um despachante documentalista, de 39 anos.

O mandado de prisão decretado se refere à segunda fase da Operação Graneleiro, que tramita junto à Delegacia de Polícia Civil de Divino e que culminou na prisão de duas pessoas, incluindo o despachante.

Continue lendo após o anúncio

Os alvos da operação são suspeitos de integrarem organização criminosa especializada na prática dos crimes de furto de caminhões e adulteração de sinal identificador, tendo as investigações se iniciado em 23 de abril deste ano, quando criminosos furtaram um caminhão Graneleiro na cidade de Divino.

Na noite do crime, um homem foi trazido por outro indivíduo que dirigia um VW Gol G6 prata e o deixou nas proximidades do pátio de uma empresa importadora de cafés, local onde estava estacionado o caminhão Graneleiro, que foi furtado por ele. Logo depois, o caminhão e o veículo Gol se encontraram e ambos empreenderam fuga da cidade.

A primeira fase da Operação Graneleiro ocorreu no início do mês passado, quando a Delegacia de Polícia Civil de Divino já havia prendido o motorista do Gol prata, de 40 anos, que confessou a prática do crime, assim como seu pai, de 72 anos, suspeito de auxiliar o grupo.

Segundo a polícia, na ocasião foram encontrados pedaços de chassi do caminhão escondidos embaixo de um grande amontoado de madeiras na casa do suspeito de 72 anos, situada no município de Fervedouro, bem como foram apreendidas placas e plaquetas de identificação do mesmo veículo, documentos e decalques do chassi na casa do suspeito de 40 anos situada no município de Vermelho Novo/MG.

A Polícia Civil deu continuidade às investigações e apurou o envolvimento de mais dois indivíduos, sendo o despachante de Ipatinga e outro indivíduo residente na cidade de Caratinga/MG, motivo pelo qual o Delegado de Polícia responsável pelo caso representou junto ao Poder Judiciário pleiteando a expedição de mandados de prisão cautelar e de busca e apreensão.

Nesta semana, desencadeou-se a segunda fase da Operação Graneleiro, quando foram cumpridos, na manhã de segunda-feira e hoje, nos municípios de Santa Rita de Minas e Ipatinga, os mandados de busca e apreensão e as prisões de um indivíduo de 33 anos suspeito de conduzir os caminhões durante o furto, além do despachante, suspeito de ter sido contratado para “esquentar” os veículos furtados.

A prisão do despachante ocorrida hoje em Ipatinga, foi realizada pela equipe da Delegacia de Polícia Civil da cidade que, imediatamente, acionou a equipe da Delegacia de Polícia de Divino para demais providências, a qual compareceu na unidade policial e realizou a oitiva do investigado preso.

Além do caminhão furtado em Divino no dia 23 de abril deste ano, a Polícia suspeita que o grupo também esteja envolvido em outro furto de caminhão de modelo semelhante ocorrido no dia 09 de setembro na cidade de Ponte Nova.

O grupo criminoso, segundo a polícia, é investigado pela prática dos crimes de furto qualificado, adulteração de sinal identificador de veículo automotor e associação criminosa.

O despachante, após formalização de sua prisão, foi conduzido ao Ceresp de Ipatinga e se encontra à disposição da Justiça.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui