A Escola Estadual Dênio Moreira de Carvalho, da Penitenciária de Ipaba, no território Vale do Aço, destacou-se na 6ª. edição brasileira da Olimpíada Internacional Matemática sem Fronteiras – a maior olimpíada de matemática interclasses do mundo. A unidade prisional foi agraciada com duas medalhas de prata e uma menção honrosa, na categoria nacional, além de uma medalha de ouro e outra de prata, na categoria estadual.

“É com muita satisfação que recebemos essas premiações. Buscamos sempre promover a educação e a profissionalização dos indivíduos privados de liberdade para humanizar o Sistema Prisional no Estado”, conta a subsecretária de Humanização do Atendimento da Secretaria de Estado de Administração Prisional de Minas Gerais (Seap), Emília Castilho.

Prova e premiações

A prova, realizada no primeiro semestre do ano, possui um formato diferente das outras competições de matemática, já que a atividade é realizada em grupo, buscando conciliar a complexidade do raciocínio matemático com o trabalho colaborativo. Dessa forma, a premiação é por turma; não individual.

Os detentos das equipes vencedoras foram contemplados com as medalhas na manhã desta sexta-feira, 16.12, durante cerimônia no Auditório da Penitenciária Dênio Moreira de Carvalho.

Apesar do empenho, o detento Ranico de Oliveira, de 20 anos, que sempre teve a matemática como sua matéria predileta, diz que ficou surpreso com a premiação na categoria ouro estadual. Ele retomou, dentro da penitenciária, o estudo interrompido na adolescência. “Levei um susto com a notícia! Gosto de estudar, mas tive que parar na 5ª série porque precisava trabalhar. Agora já estou no 2º ano do Ensino Médio”, revela.

Referência mundial

O evento é a edição brasileira da competição criada na França em 1990 – “Mathématiques Sans Frontières”. Atualmente, 29 países realizam o concurso com mais de 200 mil estudantes do Ensino Fundamental e Médio de escolas públicas e privadas, sendo mais de 60 mil só no Brasil. A Dênio Moreira de Carvalho sobressai, nesse contexto mundial, como a única escola de uma unidade prisional participante da competição.

Para Ozimar Pereira, diretor da Rede do Programa de Olimpíadas do Conhecimento – Rede POC, instituição privada responsável pela organização da competição no Brasil, o desempenho dos alunos da penitenciária foi surpreendente.

“É raríssimo ver a promoção dos estudantes dentro do Sistema Prisional no âmbito mundial. A inciativa da diretora da E. E. Dênio Moreira de Carvalho foi pioneira e deve ser um exemplo a ser seguido no mundo”, destaca.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui