PM de Itabira apreende primos que planejavam massacre em escola

Celulares dos adolescentes e uma máscara seguem apreendidos pela PM de Itabira (divulgação PM)

Dois adolescentes, um de 15 anos e outro de 14  anos foram apreendidos pela Polícia Militar de Itabira suspeitos de planejar um ataque na Escola Estadual Trajando Procópio Alvarenga Silva Monteiro (Premem).

Os policiais chegaram até aos jovens depois de que a diretora da escola foi procurada por pais de alunos que alegaram que, por meio do WhatsApp, os jovens estariam planejando um massacre contra os estudantes do Premem. A ação, inclusive, já estaria marcada para ser colocada em prática nesta segunda-feira, dia 22.

O grupo no WhatsApp, denominado “190” foi criado pelos infratores. Os policiais foram até o endereço do rapaz de 15 anos, no bairro Gabiroba. No local, a equipe  foi recebida por um senhor que informou que o jovem teria se mudado para o bairro Água Fresca. O homem afirmou aos policiais que havia tomado conhecimento, por meio de outros moradores do bairro que o menor teria espalhado em rede social que iria causar um massacre na segunda-feira na escola. Relatos do homem apontaram também que por conta disso, com medo,  diversas pessoas  estariam comentando no bairro que não iriam à escola.

Continuando as diligencias, o adolescente de 15 anos foi localizado. A situação foi exposta para a mãe dele que autorizou uma busca no quarto do filho. No local a PM apreendeu uma máscara de cor branca.

O menor confirmou que teria comentado no grupo de aplicativo WhatsApp sobre um possível massacre no Premem. Ele responsabilizou o primo, de 14 anos, pela criação do grupo “190” e assumiu que adicionou pessoas de outros estados na conversa e essas pessoas começaram a enviar mensagens excitando um massacre na escola.

No telefone do menor foram encontradas diversas conversas sobre o fato, com ameaças e planejamento do ato.

De posse das informações, os militares deslocaram até a residência do outro menor, no bairro Gabiroba onde também lograram êxito na apreensão dele. O quarto do jovem também passou por uma varredura, mas nada de ilícito foi encontrado no local.

O rapaz assumiu a autoria da criação do grupo no aplicativo de conversas. A princípio, segundo ele, a intenção era para que os membros discutissem sobre os estudos na escola Premem. No entanto, segundo a versão dele, depois que o primo espalhou o link do grupo, as conversas ganharam outra denotação e começaram a surgir mensagens de ameaças e também de massacre, na segunda-feira.

O rapaz disse que tomou conhecimento que as mensagens começaram a se espalhar por Itabira e ficou com medo e preocupado com as consequências da repercussão que as mensagens tomaram.

Os menores apresentaram os telefones celulares contendo as mensagens recebidas e enviadas, sendo estes apreendidos para caso seja necessário a realização de perícia do conteúdo.

Diante do exposto foi dado voz de apreensão aos menores por ato infracional de ameaça, sendo estes encaminhados a Delegacia de Polícia Civil acompanhado pelos pais, para que sejam tomadas as providências necessárias.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui