PM de João Monlevade faz campanha para vítimas da chuva

Chuva leva ponte e interdita a rodovia Rio Casca a Piedade de Ponte Nova

A Polícia Militar de João Monlevade está arrecadando peças de roupas, cobertores, galões de água e alimentos não perecíveis para doação às vítimas da chuva em Minas Gerais, principalmente na zona da Mata. Na região, forte temporal deixou a cidade de Rio Casca debaixo d´água e isolada, devido ao desabamento de uma ponte e a interdição de uma rodovia. A situação também é crítica em Ribeirão das Neves, Vespasiano e Contagem – região metropolitana de Belo Horizonte.

As doações poderão ser feitas a qualquer horário, no Quartel da PMMG em João Monlevade, situado na avenida Wilson Alvarenga, 30, bairro Belmonte. Os donativos serão recolhidos até o dia 17. O alerta de chuva continua, por causa da previsão de mais temporais nos próximos dias. Cinco mortes já foram contabilizadas no estado.

Autoridades preocupadas

A situação das cidades preocupa o governador Fernando Pimentel (PT). Após sobrevoar ontem Ribeirão das Neves, na Grande BH, acompanhado dos ministros das Cidades, Alexandre Baldy, e da Integração Nacional, Hélder Barbalho, Pimentel anunciou medidas emergenciais para o estado. “Em um primeiro momento, estávamos preocupados com as cidades aqui do arco metropolitano, como Ribeirão das Neves, Caeté, em especial, e Pedro Leopoldo, em função da tromba d’água recente. Mas, agora, já temos uma situação mais grave ainda no Leste de Minas. Rio Casca está totalmente alagada. Naquela região já temos municípios em situação muito grave. O que estamos discutindo são providências que vão ter que ser tomadas. A Defesa Civil estadual já está mobilizada. Vamos montar um Posto de Comando e Controle lá na região”, anunciou.

O coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Fernando Antônio Arantes, afirmou que o posto avançado vai concentrar as ações nos municípios atingidos. “O que nos preocupa hoje, com a chuva da madrugada desta segunda-feira, é a situação de Rio Casca, Abre Campo e municípios vizinhos. Tivemos cheias nos rios, algumas comunidades ilhadas com interrupção de energia e de fornecimento de água. Então, nosso olhar está dirigido para essa população agora. A Defesa Civil está implantando um Posto de Coordenação de Comando e Controle para as primeiras ações ordenadas do estado, com Bombeiros, Polícia Civil, Polícia Militar, Copasa e Cemig”, disse o coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Fernando Antônio Arantes.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui