Polícia Civil prende dupla suspeita de abusar de criança de 10 anos

De acordo com a Delegada Bianca Prado, responsável pelo caso, após o registro do crime e a concessão da guarda provisória ao pai, a mãe da criança e familiares maternos agiram na tentativa de inverter a situação (Divulgação/PC)

A Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) cumpriu, na terça-feira (27), mandados de prisão preventiva contra Artur Gonçalves Santos, 18 anos, e Jesley Rodrigo dos Santos Viana, 25, suspeitos de abusarem de uma criança de 10 anos, no município de Santa Luzia, Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Anúncios

De acordo com as investigações, a menor teria sofrido, a princípio, dois abusos. Os crimes ocorreram em novembro e em dezembro de 2017. Um foi cometido pelo ex-padrasto, Jesley, num beco próximo da residência dela. Na ocasião, a vítima relatou que seu primo materno (também menor, de 16 anos) assistiu ao fato criminoso e além de não a socorrer ainda teria se masturbado enquanto observava o fato.

Continue lendo após o anúncio

O outro crime teria sido cometido por Artur, vizinho da vítima e amigo do ex-padrasto, com modos operandi similar. Pelos levantamentos, o suspeito, ao saber do primeiro crime, teria se ‘inspirado’ e praticado o segundo. À época, a criança relatou o ocorrido aos parentes maternos, mas nada foi feito.

No início de janeiro de 2018, a criança contou à família paterna e o caso chegou ao conhecimento da Polícia Civil. As investigações tiveram início e, com os indícios e as provas reunidas, o pai da criança conseguiu a guarda provisória da filha.

De acordo com a Delegada Bianca Prado, responsável pelo caso, após o registro do crime e a concessão da guarda provisória ao pai, a mãe da criança e familiares maternos agiram na tentativa de inverter a situação. “Com o registro do boletim de ocorrência e as investigações em andamento, a mãe, os suspeitos do crime e os familiares maternos começaram tentar inverter a situação do caso, dizendo que os fatos se deram enquanto a menor estaria na guarda do pai, acusando-o dos abusos contra a filha. E por isso o pai era ameaçado pela comunidade onde mora”, explicou.

Pelas apurações dos fatos, foi possível levantar informações de que a criança sofreu negligência por parte da mãe em relação a cuidados básicos necessários, sendo certa de que a menina andava pelas ruas sozinha, frequentava um ‘Beco’ e brincava na rua sem supervisão da genitora. Atualmente, a menina está sendo acompanhada por médicos, psicólogo e Conselho Tutelar.

A família paterna afirma que a criança ainda está muito abalada, debilitada e com medo dos suspeitos. A menina teria dito que além dos abusos sexuais os suspeitos teriam a ameaçado, por várias vezes, de morte, caso ela contasse para alguém os acontecimentos. Além disso, relataram que a criança entra em estado de choque quando perguntam se ela quer encontrar ou ver a sua mãe. Há indícios e elementos que apontam que a mãe tinha conhecimento dos fatos e não tomava providencias em relação aos abusos.

O inquérito policial foi concluído e a Autoridade Policial pediu a prisão dos dois suspeitos e da mãe da vítima, além da apreensão do primo da criança. Os mandados contra os suspeitos foram cumpridos e o Ministério Público ofereceu denúncia contra os envolvidos e contra a genitora da menor. Artur e Jesley responderão pelo crime presos e a mãe, na qualidade de agente garantidora, responderá, a princípio, em liberdade.

Anúncios
Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui