Polícia Civil prende foragido da Justiça condenado a 43 anos de prisão

O homem é investigado em inquéritos policiais pelos crimes de roubo a banco, falsificação de documento público e porte ilegal de arma de fogo

Raimer é investigado em inquéritos policiais pelos crimes de roubo a banco, falsificação de documento público e porte ilegal de arma de fogo

Na última terça-feira (1º), através de denúncia anônima, a Polícia Civil, em Ipatinga, tomou conhecimento de que Raimer Lourenço Pires, de 28 anos, foragido da Justiça, estaria viajando para Belo Horizonte de trem e que, possivelmente, usava documentos de identificação falsos.

Foram realizadas pesquisas nos sistemas de informações policiais e constatado que Raimer é investigado em inquéritos policiais pelos crimes de roubo a banco, falsificação de documento público e porte ilegal de arma de fogo. Além disso, ele havia sido condenado à soma total de penas de 43 anos e 15 dias, e que possuía registro de mandado de recaptura em aberto.

Os crimes ocorreram em Belo Horizonte no ano de 2004, em Santa Maria do Suaçuí, em 2006, e em Curvelo, em 2009. O roubo de 2006, inclusive, resultou em um policial militar atingido por disparos de arma de fogo. Da pena total, o autor já cumpriu 13 anos, e, nesse período, ele fugiu da prisão quatro vezes, sendo duas vezes em Governador Valadares, uma vez em Ribeirão das Neves  e uma vez em Belo Horizonte.

Os policiais, então, se dirigiram à estação ferroviária Intendente Câmara, em Ipatinga, onde Raimer foi abordado e se identificou como Rayme Silva Nery. Ele tentou fugir, entrando em luta corporal com os policiais, sendo necessário uso progressivo da força, imobilização e uso de algemas. Foram apreendidas, com ele, uma Carteira Nacional de Habilitação (CNH) e uma carteira de identidade, ambos em nome de Rayme Silva Nery, com indícios de falsificação.

Desse modo, foi dado cumprimento ao mandado de prisão e lavrado o registro policial pelo crime de uso de documento falso. O preso foi encaminhado ao sistema prisional, onde se encontra à disposição da Justiça.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui