Polícia Civil prende suspeito de abuso sexual infantil em Itabira

Materiais,que serão analisados pela polícia, foram apreendidos na casa do suspeito

Em uma operação realizada na manhã desta quinta-feira (28) investigadores da Polícia Civil, de Itabira, coordenados pela delegada Amanda Machado, foram até o bairro Gabiroba, onde fizeram a prisão de um homem, de 22 anos, suspeito de manter relações sexuais com adolescentes de 14 anos.

O mandado de prisão temporária foi expedido pela Juíza Juíza Dayane Rey da Silva, da Vara da Infância e Juventude da Comarca de Itabira, que se baseou nas informações contidas no inquérito instaurado e coordenado pela delegada Amanda Machado, que juntamente com investigadores foram até uma residência localizada no bairro Gabiroba e fizeram a prisão do suspeito e apreensão de materiais.

O caso segue em segredo de justiça e de acordo com informações o homem abordava os alunos de escolas do bairro Gabiroba e os convidavam para irem até sua residência, onde acontecia os atos libidinosos.

Dentre as provas teriam conversas com conteúdos pornográficos via aplicativo. As denúncias davam conta ainda de movimentação frequente de menores que deveriam estar em sala aula.

Segundo relatos de familiares de vítimas, sobre contato virtual com menores, a justificativa era para brincarem.

Dentre as provas fornecidas por familiares estaria um bilhete escrito por uma vítima onde dizia para “Deus castigar este homem mau”. O bilhete se referia ao acusado na denúncia.

Diante dos argumentos apresentado a Justiça expediu um mandado de prisão temporária para evitar a destruição de provas, a intimidação de testemunhas, e que o acusado cessasse com a prática.

Bem cedo os investigadores foram até a residências e fizeram a prisão do acusado, sendo levado para a Delegacia da Polícia Civil e encaminhado ao presídio de Itabira, onde ficará à disposição da justiça.

Em 2017, o suspeito já tinha sido preso em flagrante em operação conjunta entre as Polícias Civil e Militar, por armazenar em seu computador imagens com cenas de sexo explícito e pornográfica envolvendo crianças e adolescentes.

Fonte: Átila Lemos

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui