Em mais uma grande operação de combate ao tráfico de drogas, com apoio de populares que denunciaram anonimamente através do telefone 181 do Disque Denúncia Unificado (DDU), a Polícia Militar de João Monlevade conseguiu apreender uma grande quantidade de drogas no final da tarde desta terça-feira (16).

Ao todo foram apreendidas 208 pedras de crack, 46 buchas de maconha, 04 papelotes de cocaína, um revólver calibre 38 municiado com seis cartuchos intactos e outros seis do mesmo calibre, três celulares e um montante em dinheiro.

Segundo a polícia todo material apreendido estava dentro de uma pochete que foi dispensada pelo suspeito na tentativa de fuga, durante abordagem policial.

Minutos antes da operação a polícia havia recebido mais uma denúncia através do DDU, de que o suspeito estaria comercializando entorpecentes em um campinho de futebol e que no local, pessoas adquirindo drogas. Homens do Serviço de Inteligência da PM foram para o local e montaram uma campana.

De acordo com o tenente Anderson Davi, comandante do Pelotão de Recobrimento Tático Móvel, após tomar conhecimento do movimento de tráfico de drogas na região foi montada uma operação com apoio de militares do Serviço Velado da 17aCompanhia de Polícia Militar independente. O subcomandante da unidade, capitão Felipe Gaigher também participou da operação e parabenizou a equipe pelo trabalho, que foi supervisionado pelo major André Pedrosa, comandante da Companhia.

Durante o cerco o suspeito identificado como Carlos Henrique dos Reis Martins, 20 anos, tentou fugir. Ele portava uma arma de fogo em uma das mãos e uma pochete, que foi dispensada em meio a um matagal. Ao perceberem que Carlos estava armado, os militares efetuaram vários disparos de arma de fogo contra ele, que acabou dispensado a arma e pulou em um barranco, caindo próximo onde estava uma das equipes da polícia. Ele foi preso em flagrante. Uma mulher de 18 anos, e uma adolescente de 16 também foram detidas. Elas negaram participação no crime e disseram não conhecer Carlos Henrique.

Segundo a polícia, ainda há denúncia de que Carlos Henrique vendia entorpecentes para menores de idade, estudantes de uma escola próxima do local. O suspeito contou aos policias que é natural da cidade de Viçosa, onde adquiriu a arma de fogo, e que estava há pouco tempo na cidade.

Os três foram levados para a Delegacia de Polícia Civil juntamente com os materiais apreendidos.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui