A presidente do Sintramon, Isaura Bicalho, foi quem tornou pública a informação
O posto de saúde do bairro Novo Cruzeiro, em João Monlevade, foi interditado na última terça-feira (31). O fato aconteceu depois que pombos foram achados mortos dentro de caixa d´águas da unidade de saúde. A presidente do Sintramon, Isaura Bicalho, foi quem tornou pública a informação, na reunião ordinária da Câmara de Vereadores na última quarta-feira (1º). A sindicalista, que é lotada na Vigilância Sanitária (Visa) do município falou que esteve no posto e no local encontrou um ambiente fétido e cheio de baratas. “As janelas estavam fechadas e os funcionários não podiam usar o banheiro e nem lavar as mãos. Nunca vi uma secretaria de Saúde e a Visa tão omissas”, falou enfática.
Isaura apontou também que o laudo feito na água do posto é imprópria para o consumo. “Quando o reservatório esta sem cloro, a água não pode ser consumida. Como fazer procedimentos sem lavar as mãos? Não posso permitir que a Visa deixe o posto funcionando. Não tinha outra coisa a fazer a não ser interditar e o erro foi não fechar a unidade de saúde antes”, falou Isaura.
De acordo com o resultado da análise, feita a pedido dos funcionários do posto, a água do local é imprópria para consumo, pois foram encontradas bactérias coliformes totais e escherichia coli, provenientes das fezes dos pombos, que podem causar diarréia, gastroenterite e infecção urinária. Ainda segundo o laudo, a água do posto está em não conformidade aos padrões estabelecidos pela Portaria 2914, de 11 de dezembro de 2011, do Ministério da Saúde.
As caixas d´água do posto do Novo Cruzeiro foram trocadas pela Prefeitura de João Monlevade na manhã da última  sexta-feira (27).  Conforme o Executivo, o problema com os pombos nos reservatórios foram causados por um serviço mau feito no local por um servidor público,q eu deixou as tampas das caixas abertas.
Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui