Prédio da antiga Escola Santana sofre com ações de vândalos

O prédio da antiga escola Santana, vem sendo depredado por vândalos

A Escola Estadual Santana, fechada há dez meses em João Monlevade, por determinação do Governo do Estado sob alegação de falta de recursos para ser mantida, vem sofrendo com constantes furtos e ações de vândalos.

O vereador Thiago Araújo Moreira (Titó-PDT) comentou sobre a questão na última reunião da Câmara Municipal, realizada na quarta-feira (10). O parlamentar esteve visitando a escola durante a semana e constatou o local bastante deteriorado. Segundo Titó, ele teve acesso a quatro Boletins de Ocorrências (BOS). Os documentos da Polícia Militar apontam que foram furtados da escola quatro chuveiros, duas torneiras, um bebedouro, dois sifões de válvula de descarga e cabos de cobre da instalação elétrica. Há registro ainda de quebra de luminárias da laje de acesso ao telhado, portas arrombadas e fiação do sistema de alarme rompido.

“São 10 meses que a escola está fechada e além dos furtos e danos, um cidadão invadiu a escola e estava morando lá. Foi preciso acionar a polícia para que ele deixasse a sede “, falou Titó que questionou: “Até quando a estrutura do prédio vai ficar abandonada?”.

O vereador comentou também que a possibilidade de transferir os laboratórios dos cursos de engenharia do campus de João Monlevade da Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG) para o prédio da escola Santana foi descartada. Isso devido ao valor de investimento para as obras, que giram em torno de R$ 200 mil. “O diretor da UEMG descartou a possibilidade da transferência do laboratório para o Santana, porque de acordo com a visita técnica no local foi apontada a necessidade de se fazer várias adaptações no prédio No momento, a UEMG não tem esse dinheiro disponível”, explicou o vereador que completou: “precisamos tornar o local útil”.

Publicidade

2 COMENTÁRIOS

  1. É com muita tristeza e desilusão que vejo essa reportagem, uma escola que formou tantas pessoas hoje importantes espalhadas neste pais a deriva como um barco sem rumo. o que não faz o poder publico né? quando estudei ai sentia orgulho de ver essa escola, me enchia em dizer que estudei ai com excelentes professores e muitos alunos que hoje vivem na saudade e na mesma tristeza minha em ver o estado em que essa escola se encontra. isso mesmo políticos ! acabem com nossa historia ! joguem terra na nossa saudade! pobre cidade de João Monlevade! morrendo aos poucos! juntamente com nossas vidas! triste! muito triste!

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui