Prédio da UEMG em Monlevade pode ser vendido

Tito Torres participou de reunião técnica com a empresa Petrocity Portos S.A e o governo do Espírito Santo para apresentação do projeto da Estrada de Ferro Minas-Espírito

O deputado estadual Tito Torres (PSDB) apresentou na última quarta-feira (10) uma emenda ao projeto de lei 4.135/17 solicitando que o imóvel onde funciona a Universidade Estadual de Minas Gerais (UEMG), em João Monlevade, seja retirado da lista de alienáveis. Este projeto traz uma relação com 1.205 imóveis públicos que serão vendidos pelo governo estadual buscando aumentar a arrecadação do Estado. Na lista constam prédios tombados e outros ocupados atualmente por serviços essenciais como hospitais, postos policiais, escolas e universidades.

“O Governo quer vender vários imóveis importantes, que estão em uso e servindo aos interesse da população, como é o caso do prédio da UEMG em Monlevade. Não podemos concordar com este meio de buscar recursos para os cofres públicos. Na prática, a venda de determinados imóveis vai afetar diretamente a população e trazer novos problemas para o Governo. Solicitei que o prédio onde funciona a UEMG seja retirado dessa lista e, junto com a oposição, vou trabalhar para impedir a aprovação do projeto”, explica Tito Torres

Anúncios
Continue lendo após o anúncio

A identificação de vários imóveis importantes que Pimentel quer vender veio à tona em reportagens do jornal O Tempo. A inclusão do prédio da Faculdade de Engenharia de Minas Gerais (Feamig) na lista de alienáveis provocou surpresa e revolta em alunos e professores da instituição de ensino, localizada no bairro Gameleira, na região Oeste de Belo Horizonte. Um dos motivos da revolta é que tanto o prédio quanto o terreno foram doados para a faculdade há mais de 40 anos, em 1976, pelo então governador Aureliano Chaves.

Anúncios
Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui