Prefeito de São Gonçalo busca informações sobre barragens de rejeitos da cidade

Ele divulgou nota de solidariedade ao município de Brumadinho e esclarecimento à população de São Gonçalo do Rio Abaixo

Barragem Itabiruçu, em Itabira

Na tarde desta segunda-feira (28), o prefeito da cidade de São Gonçalo do Rio Abaixo, Antônio Carlos Noronha Bicalho (PDT) enviou nota à imprensa sobre o rompimento da barragem da Vale na Mina do Córrego do Feijão, ocorrido nessa sexta-feira (25), em Brumadinho.

No texto, Antônio Carlos manifesta solidariedade aos atingidos e classifica a catástrofe como um grave acidente no setor da mineração que culminou com uma tragédia social e ambiental. “Lamento profundamente o ocorrido e me solidarizo com os familiares e amigos das vítimas e com todos os demais atingidos pela tragédia”, frisou.

O episódio de Brumadinho, segundo o Chefe do Executivo, reacendeu na população de São Gonçalo apreensão a respeito das barragens localizadas o município. “Pouco mais de três anos após o rompimento de Fundão, em Mariana (MG), é completamente aceitável que o sentimento de insegurança assole os moradores de todas as cidades mineradoras que possuem barragens em seu território”, escreveu.

Diante dessa situação, Antônio Carlos informou que solicitou aos responsáveis pela Mina de Brucutu um diagnóstico contendo laudos técnicos sobre as barragens existente em São Gonçalo, como também a conclusão do Plano Emergencial de Rompimento de Barragens que vem sendo desenvolvido na cidade.

Ainda conforme o prefeito, foi requisitado junto à Agência Nacional de Mineração (ANM) providências relacionadas à fiscalização da estabilidade e segurança das barragens do município. “Informo ainda que a Prefeitura de São Gonçalo do Rio Abaixo já trabalha na elaboração do Plano Contingencial de Rompimento de Barragens, a fim de evitar acidentes como o que, lamentavelmente, aconteceu em Brumadinho”, pontuou o prefeito.

São Gonçalo do Rio Abaixo possui quatro barragens no complexo Brucutu: Barragem B3, Barragem Dicão, Barragem Sul e Barragem Laranjeiras.

Itabira

O prefeito de Itabira, Ronaldo Magalhães (PTB), por meio das redes sociais, afirmou que acompanha com preocupação a tragédia em Brumadinho e que na próxima semana vai pedir um diagnóstico sobre a situação das barragens da cidade. 

“Essa situação se tornou motivo de muita apreensão. O nosso município abriga duas das maiores barragens de rejeitos do Brasil. Cobrarei da direção da Vale novo diagnóstico sobre a situação das barragens”, disse o prefeito. 

Vários moradores cobram do prefeito que o projeto de ampliação da barragem Itabiruçu seja cancelado. O local tem capacidade para receber volume 18 vezes maior de rejeitos do que a barragem Córrego Feijão.

Segundo a Prefeitura de Itabira, desde o ano passado a barragem de Itabiruçu passa por processo de alteamento para receber rejeitos da mina de Conceição. Em novembro, em audiência pública, a empresa apresentou o plano de aumentar a altura da barragem, que fica a 835 metros, para 850 metros.


Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui